Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

agenda cultural

Uma São Paulo circundada por uma barragem após uma vasta inundação. Esse é o cenário da instalação artística inédita, BARRAGEM///SP, desenvolvida e pensada para a Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Neste universo distópico, artistas plásticos e estudantes de arquitetura poderão contribuir com o projeto e participar do Workshop de Maquete Eletrônica. O desafio é conter a água e salvar prédios importantes, como o Teatro Municipal de São Paulo, por exemplo. A oficina será entre os dias 16 e 30 de agosto, às quartas-feiras, das 10h00 às 13h00. O projeto será apresentado no dia 14 de setembro, às 19h00 e contará com a performance sonora “Rádio///”, em que o público irá ouvir trechos de ruídos da imaginária BARRAGEM///SP. No fim da exposição, no dia 21 de outubro, haverá uma Conversa Aberta ao público com os artistas e participantes que contarão sobre o processo de trabalho e a construção da exposição.

O projeto conta com a participação de cinco profissionais das áreas de arquitetura e urbanismo, cenografia e design, performance e música. São eles: Nivaldo Godoy, Élcio Miazaki, Marcos Martins Lopes, Panais Bouki e André Lenz. Uma das propostas é refletir sobre as mudanças climáticas e o manejo inconsequente dos recursos naturais.

Um acontecimento particularmente emblemático e que faz parte do contexto da instalação artística é o rompimento da barragem da Samarco em Mariana, Minas Gerais, em novembro de 2015. Em um cenário que se aproxima do imaginário ficcional, casas e pessoas foram soterradas por um inimaginável deslocamento massivo de água e lama. Assim como em BARRAGEM///SP - onde a chuva constante é um fator para as decisões de estratégias de sobrevivência.

O grupo explica que a “barragem” pode ser também interpretada como um muro de defesa e proteção. No presente há os muros reais, como o da fronteira entre o México e os Estados Unidos, check-points em Israel-Palestina, cercas de Melila – fronteira entre Espanha e Marrocos e fronteiras entre Macedônia e Hungria, além dos muros figurados, como os dispositivos de segurança em São Paulo, cercas, arame farpado, câmeras e detectores de metais. A barragem pode ser interpretada como resultado do medo e da ameaça. Ou as barragens em tempos de burocracia com documentos, vistos e permissões. No Brasil contemporâneo existe uma barragem na falta de recursos – principalmente financeiros, mas também tecnológicos e educacionais.

Programação

Workshop de maquete eletrônica: Arquitetura na barragem
Arq. Nivaldo Godoy e Prof. Arq. Marcos Martins Lopes
16/8 a 30/7 – quartas-feiras – 10h às 13h

Público-alvo: Estudantes de arquitetura, arquitetos, designers, urbanistas, ilustradores e artistas.

Exposição BARRAGEM
Artistas: Nivaldo Godoy, Élcio Miazaki, Marcos Martins Lopes, Panais Bouki e Andre Lenz
Abertura - 14/9 às 19h00

Vernissage e performance sonora “Rádio///” às 19h30

Visitação: 15/9 a 28/10 – segunda a sexta – das 9h00 às 21h00 – sábados – das 10h00 às 18h00

Conversa aberta: BARRAGEM
Artistas: Nivaldo Godoy, Élcio Miazaki, Marcos Martins Lopes, Panais Bouki e Andre Lenz
21/10 – sábado – 15h00 às 18h00

Aberto ao público – 30 vagas

BARRAGEM///SP reúne performance, oficina e exposição gratuita em cenário distópicio ficcional.

BARRAGEM///SP reúne performance, oficina e exposição gratuita em cenário distópicio ficcional.

Instalação artística inédita ambientada em uma São Paulo submersa

happens
from 16/08/2017
to 28/10/2017

where
Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios 363 - Bom Retiro
São Paulo SP Brasil
Segunda a sexta, das 09h às 21h; sábados, das 10h às 17h30

source
Oficina Cultural Oswald de Andrade
São Paulo, SP

share


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided