Seu navegador está desatualizado.

Para experimentar uma navegação mais interessante, recomendamos que você o atualize clicando em um dos links ao lado.
Todos são gratuitos e fáceis de instalar.

 
  • em vitruvius
    • em revistas
    • em jornal
  • \/
  •  

pesquisa

revistas

jornal

agenda cultural

Pouco conhecido como fotógrafo, Mário foi pioneiro na fotografia modernista do país, inovando as técnicas e deixando um legado de extrema importância

Você sabia que Mário de Andrade também foi fotógrafo? Muito reconhecido na literatura e na música, o autor de Macunaíma foi um dos pioneiros na fotografia modernista no Brasil. Com o objetivo de difundir trabalhos importantíssimos e poucos conhecidos do intelectual, a Casa Mário de Andrade – integrante da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – organizou a exposição Mário Fotógrafo, que vai de 5 de maio a 4 de agosto.

A exposição, que ocupará o porão do museu, vai exibir imagens de paisagens e personagens das regiões norte e nordeste do país, além de experimentos como autorretratos em sombra. A visita é gratuita e aberta ao público, de terça-feira a domingo, das 10h às 18h. A abertura, no dia 5 de maio, será das 15h às 18h.

A Semana de Arte Moderna no Brasil, que foi uma grande impulsionadora de manifestações artísticas de todo o tipo, não contemplou a linguagem da fotografia. E Mário, sob influência da produção modernista europeia, foi um dos primeiros a iniciar um trabalho de fotografia modernista brasileira. Ele batiza sua máquina norte-americana Kodak de “Codaque”, inventa o verbo “fotar” e, entre 1923 e 1936, coleciona cerca de 1500 fotografias, que registram patrimônios históricos, crianças, trabalhadores e imagens que revelam suas preocupações estéticas e suas experiências de revelação.

“Aquilo em que a fotografia artística se eleva sobre a puramente documental, reside não na máquina ou na luz, como imaginam confusionistamente os manipuladores de truques fotográficos ou os “fotografadores” de eternos crepúsculos românticos, mas na criação humana do artista. Enfim, há que ter esse dom especial de apanhar a poesia do real”. A fala de Mário em 1929 diz muito sobre seus trabalhos fotográficos, que foram usados como ferramenta de documentação e criação artística, sob um olhar atento à cultura brasileira.

Sobre a Casa Mário de Andrade

A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. O museu abriga uma exposição permanente, que é aberta à visitação, com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. O museu também realiza uma intensa programação de atividades culturais e educativas. A Casa integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Sobre a Poiesis

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Casa Mário de Andrade inaugura exposição sobre os trabalhos fotográficos do escritor

acontece
de 05/04/2018
a 04/08/2018

local

Oficina da Palavra Casa Mário de Andrade
Rua Lopes Chaves 546 - Barra Funda
01154-010 São Paulo SP
Funcionamento para inscrição: segunda a sexta-feira, das 13h30 às 19, e sábado, das 10h às 13h Telefone: (11) 3666-5803 / 382

fonte
Poiesis
São Paulo SP

compartilhe


© 2000–2018 Vitruvius
Todos os direitos reservados

As informações são sempre responsabilidade da fonte citada