Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

news

O concurso foi organizado pela União Internacional dos Arquitetos (UIA, órgão consultivo da UNESCO), com a participação de 349 arquitetos de 45 países. Os brasileiros ficaram em 6º lugar.

A equipe de seis profissionais, de Campinas/SP, recebeu menção honrosa no concurso promovido pela UIA e Biblioteca de Alexandria, durante a última edição do “The New Science City - International Architectural Competition", em 6th of October City no Egito. O local está situado a 17 km das pirâmides.

A competição tem como proposito selecionar a melhor proposta de arquitetura para a construção da cidade da ciência, que representará o renascimento cientifico do Egito e o principal centro de ciência do Oriente Médio e Africa. O anúncio dos vencedores foi no dia 29 de agosto.

Ao todo, 349 arquitetos, de 45 países, se inscreveram. Para a etapa final, 142 projetos, de 32 países, foram para avaliação do juri. Os brasileiros ficaram em sexto lugar. O projeto da equipe foi desenvolvido com desenho contemporâneo com espaços flexíveis, contendo uma grande praça central para exposições e encontros.

O projeto da equipe brasileira se destacou pela clareza e coesão, foi desenvolvido com design  flexível, contendo uma grande praça central coberta por uma cúpula de 230m de diâmetro que permite o encontro e a comunicação entre os diversos laboratórios, e uma grande esfera de 45m de diâmetro que marca a paisagem do Egito

Os primeiros colocados foram equipes do Reino Unido (1º e 3º),  Malásia (2º), Coreia do Sul (4º) e Grécia (5º).

“É um projeto muito claro e inspirador, mantendo-se convencional de uma maneira que oferece grandeza sem estranheza”, aponta a ata da comissão de avaliadores.

“Nossa proposta para a cidade da ciência em 6th of October City foi idealizada para criar uma nova identidade para a paisagem local. Para isso, tivemos que fugir da lógica convencional de edifícios retangulares espalhado em um campus. Optamos por um desenho de formas esféricas puras afim de criar um marco referencial”, conta o arquiteto Guilherme Oliveira.

Sobre a equipe

Grupo formado por três jovens arquitetos recém formados da PUC Campinas (Daniel Henrique Ribeiro, Giliarde Silva, Guilherme Oliveira), um arquiteto e professor da PUC Campinas experiente (Joaquim Caetano de Lima Filho) e dois estudantes de arquitetura (Lucas Moretti, Raissa Shizue), que juntos conceberam o projeto. A equipe ainda teve o apoio do estudante e artista Gabriel Damasceno da Faculdade de Jaguariúna.

Mais informações no site do concurso.

<br />Pranchas com a proposta da equipe brasileira  [Guilherme Oliveira]


Pranchas com a proposta da equipe brasileira [Guilherme Oliveira]

Science City Competition

source
Guilherme Oliveira
Campinas SP

share


© 2000–2018 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided