Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

news

Segundo título da série mostra a cidade como um lugar de encontros e de brincadeiras

Ao lado de Tiê, uma capivara-aventureira, Lina parte em uma viagem por dez espaços públicos pelo mundo – como o High Line em Nova York ou a Avenida Paulista em São Paulo –, para descobrir os segredos da construção das cidades. As duas são as personagens principais do livro Casacadabra – Cidades para Brincar, lançamento da Pistache Editorial, que começa a campanha de financiamento coletivo dia 16 de abril, pelo Catarse. O livro tem texto de Bianca Antunes e Simone Sayegh, e ilustrações de Luísa Amoroso. Este é o segundo título da série Casacadabra o primeiro, chamado Invenções para morar, apresentou a arquitetura de dez casas pelo mundo.

Com brincadeiras, interatividades e exercícios propostos para fazer em casa ou na escola, o Casacadabra 2 – Cidades para Brincar, leva o leitor a perceber o espaço urbano como um lugar lúdico: um rio que estava escondido e reaparece, uma escadaria que também serve para encontrar os amigos, ruas onde a regra é brincar, uma praça que vive se transformando...

“Queremos incentivar os leitores a perceberem as cidades como vivas e abertas a brincadeiras, como um lugar de encontro e de aprendizado”, propõem Bianca Antunes e Simone Sayegh, idealizadoras do projeto e responsáveis pelo texto e edição. Bianca é especialista em desenvolvimento urbano e jornalista e Simone é arquiteta. Ambas trabalham há 14 anos na difusão de arquitetura em mídias especializadas.

A série Casacadabra é baseada no aprendizado lúdico, com interatividade e explicações de palavras a princípio complicadas de maneira simples e didática. Este segundo volume traz a seção Mini-urbanista, que reúne propostas de atividades para fazer em casa ou na escola, sempre relacionadas à aprendizagem crítica da criança em relação ao espaço urbano, e todas inspiradas nos projetos do livro.

As propostas podem ser usadas como plano de aula para os professores ou como orientação de atividades para os pais ou responsáveis, nas férias ou finais de semana. "Acreditamos que se o ensino da arquitetura e do urbanismo começar na sala de aula, com as crianças, teremos um olhar mais crítico para a construção das cidades, e mais chances de termos ambientes urbanos mais humanos e que promovam o encontro de pessoas de todas as idades", contam as autoras.

Porque um livro de urbanismo para crianças

As autoras partem da ideia de que as cidades serão mais justas e humanas quando a arquitetura e o urbanismo começarem a ser ensinados desde o princípio: nas aulas de ensino básico, fundamental, médio e não apenas nas salas de aula das faculdades de arquitetura. Nos livros para as crianças, e não apenas em artigos acadêmicos. "Acreditamos na educação para abrir os olhos das pessoas, desde cedo, para o lugar em que vivem. A série Casacadabra é um pequeno passo para essa transformação", dizem as autoras.

Hoje mais de 50% da população mundial mora em cidades (no Brasil, esse número sobe para 85%). A lógica das construções é algo que pode ser acessível a todos, mas hoje não é automaticamente visível. "Se quisermos cidades melhores, precisamos aprender seus princípios, seus códigos, como funcionam e como podemos atuar nelas", dizem.

Financiamento coletivo

A série Casacadabra é uma iniciativa pioneira no Brasil de trazer conteúdos específicos de arquitetura e de urbanismo para o público infantil. O segundo volume da série será lançado dia 16 de abril na ferramenta de financiamento coletivo Catarse (catarse.me/casacadabra2) – o primeiro volume, Casacadabra – invenções para morar, também foi realizado após uma campanha de financiamento coletivo, em 2016.  

As contrapartidas que incluem o livro começam a partir de 70 reais. Há ainda recompensas como um gabarito/estêncil com formas urbanas para as crianças desenharem seus espaços públicos e agradecimentos no livro. A equipe também busca apoios e patrocínios para que não apenas a produção do livro seja financiada, mas também atividades educativas relacionadas à arquitetura e ao urbanismo.

“Somos uma editora independente, e a divulgação pelo Catarse nos auxilia a disseminar nossas ideias. O financiamento colaborativo nos ajuda a conquistar leitores, permite que a publicação aconteça e possibilita a criação de novas edições, que continuem tratando do tema urbano para o leitor infantil e infanto-juvenil”, explicam as autoras.

Quem somos

Bianca Antunes

Especialista em desenvolvimento urbano e cooperação internacional (TU Darmstadt/UIC Barcelona), com pós graduação em Geografia, Cidade e Arquitetura pela Escola da Cidade (2015), é jornalista formada e mestre pela ECA-USP (2000 e 2008) e atua há 14 anos na difusão da arquitetura. Foi editora da revista AU – Arquitetura e Urbanismo (Editora PINI) e é autora de livros de arquitetura pelas editoras C4 e BEI.

Simone Sayegh

Arquiteta formada pela FAUUSP (1995) e graduanda em pedagogia, trabalha há 16 anos na difusão da arquitetura em revistas especializadas e sites para o público final, como revista AU – Arquitetura e Urbanismo (Editora PINI) e UOL. Seus textos constam em livros de arquitetura e livros técnicos. Desenvolve cursos e oficinas de arquitetura para crianças.

Luísa Amoroso

Arquiteta formada pela FAUUSP. Na faculdade, os projetos gráficos já a interessavam tanto quanto os edificados. Vem se dedicando à ilustração e ao design gráfico desde 2012, quando se formou.

O livro

Com 80 páginas e 21 cm x 21 cm, a publicação traz dez espaços públicos construídos pelo mundo, em diferentes épocas – alguns assinados por arquitetos, outros construídos pela comunidade, muitos feitos em conjunto pelos dois.

As ilustrações desse volume são da Luísa Amoroso, e enchem de detalhes as cidades de nosso dia a dia. Com colagem, nos revelam as camadas do ambiente urbano; com personagens e projetos pintados a lápis, mostra que construir a cidade pode estar nas mãos de todos – nos convidando a participar dessa construção.

Os 10 projetos apresentados são: Superkilen, em Copenhague, Dinamarca; High Line, em Nova York, Estados Unidos; Cantinho do Céu, em São Paulo, Brasil; Escadaria Trinidade do Monte, em Roma, Itália; Parquinhos de Aldo van Eyck, em Amsterdã, Holanda; Reabertura do rio Cheonggyecheon, em Seul, Coreia do Sul; Praça dos Desejos, em Medelín, Colômbia; Praça Imagem do Mundo, em Esfahan, Irã; Poço da Figueira, em Barcelona, Espanha; Avenida Paulista, em São Paulo, Brasil

Páginas 80 páginas
Dimensão 21 cm x 21 cm
Texto Bianca Antunes, Simone Sayegh
Ilustração Luísa Amoroso
Editora independente Pistache Editorial (www.pistacheeditorial.com.br)
Lançamento novembro de 2018 (previsão)

Para participar do financiamento coletivo, acesse aqui.

Livro de urbanismo para crianças é lançado no Catarse

source
Bianca Antunes
São Paulo SP

share


© 2000–2018 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided