Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

news

Em Abismo das superfícies I e II, o dançar de luzes e sombras ao som de pássaros do parque do Ibirapuera tomam o chão asséptico da construção modernista de Oscar Niemeyer

As sutilezas do cotidiano serviram de inspiração para os vídeos inéditos que Maria Laet apresenta na 33ª Bienal de São Paulo. A artista se atém aos detalhes que passam despercebidos por olhares apressados e traz intervenções poéticas em sua obra. Em Abismo das superfícies I e II, o dançar de luzes e sombras ao som de pássaros do parque do Ibirapuera tomam o chão asséptico da construção modernista de Oscar Niemeyer. Os trabalhos integram o corpo de 12 projetos individuais comissionados pelo evento.

"Quando eu vim ao Pavilhão da Bienal, me impressionou o vazio imenso criado pela arquitetura que se impõe, tão forte. E justamente por ser tudo tão grande e importante, minha atenção se voltou ainda mais para as sutilezas desse espaço vazio, o que há de mais frágil e silencioso naquele contexto, o que não está sendo visto. O contraste entre esses mundos, e onde eles se encontram, é muito potente para mim", explica Maria Laet.

Paralelamente à Bienal, a artista apresenta a individual Poro na Galeria Marília Razuk. Com curadoria assinada por Bernardo José de Souza, a exposição reúne 11 trabalhos desenvolvidos em suportes diversos: são vídeos, fotografias, monotipias, objetos e uma instalação. Com eles, a artista propõe ao espectador uma pausa no tempo para se despir da necessidade habitual e, muitas vezes, cartesiana, pelo controle. Poro fica em cartaz até 20 de outubro e ocupam as duas salas da Galeria.

Sobre a artista

Maria Laet nasceu em 1982 no Rio de Janeiro e vive e trabalha em sua cidade natal. Seu trabalho é criado por ações e pelo resultado de gestos e intervenções sutis, numa prática que envolve desenho, gravura, fotografia e vídeo. Esses meios agem como canais, plataformas para os processos para os processos da artista, como peles, que levam suas intenções e revelam a ação como um arquivo. Dessa forma, as obras acontecem tanto no conceito quanto na esfera física dos materiais envolvidos, chamando sua atenção para a membrana, o espaço que liga e ao mesmo tempo divide. Esses encontros são enfatizados na natureza entrópica do trabalho de Laet, que tendem a parecer calmos, inicialmente homogêneos, mas sutilmente questionam a noção de limite.

É formada pela Camberwell College of Arte, na qual concluiu mestrado em 2008. Participou de residências artísticas como a Schloß Balmoral (Bad Ems, Alemanha, 2009), o Carpe Diem Arte e Pesquisa (Lisboa, 2010), e a Residency Unlimited (Nova York, 2014). Seu trabalho já foi apresentado individualmente em espaços e instituições do Rio de Janeiro, em São Paulo, Paris, Lisboa e Milão.

Participou de coletivas como Indelével (Clube Jacarandá, Rio de Janeiro, 2016), Tangentes (Museu de Belas Artes, Gent, Bélgica, 2015), Encruzilhada (Parque Lage, Rio de Janeiro, 2015), Rumors of the Meteore (Frac Lorraine, Metz, França, 2014);Everydayness (Wyspa Institute of Art, Gdansk, Polônia, 2014), A Invenção da Praia(Paço das Artes, São Paulo, 2014), Correspondências (Centro Cultural dos Correios, 2013), From the margin to the edge (Somerset House, Londres, 2012), 18th Biennale of Sydney: all our relations (2012), Convite à Viagem (Rumos Itaú Cultural, 2012) e O lugar da linha (Museu de Arte Contemporânea, Niterói e Paço das Artes, São Paulo, 2010). Foi indicada ao Prêmio PIPA 2010, 2011, 2012, 2016, 2017 e 2018.

Sua obra integra coleções como MAM, Gilberto Chateaubriand, Rio de Janeiro; MAC Niterói; FRAC Lorraine, Metz, França; MSK, Museu de Belas Artes, Gent, Bélgica; AGI Verona, Itália; Cisneros, Patricia Phelps de Cisneros, Nova York; e MoMA, Nova York.

Serviço

33ª Bienal de São Paulo – Afinidades afetivas

De 7 de setembro a 9 de dezembro de 2018
Local: Pavilhão Ciccillo Matarazzo, Parque Ibirapuera
Preview para imprensa: 4 de setembro/2018
Preview para imprensa, profissionais e convidados: 5 e 6 de setembro/2018
International Weekend: 21 a 23 de setembro/2018

Poro, individual de Maria Laet

Local: Galeria Marília Razuk
Endereço: Sala 1 | Rua Jerônimo da Veiga, 131 || Sala 2 | Rua Jerônimo da Veiga 62- Itaim Bibi, São Paulo - SP
Abertura: 25 de agosto, sábado, das 12h às 17h
Período expositivo: de 27 de agosto a 20 de outubro
Visitação: de segunda a sexta, das 10h30 às 19h | Sábado, das 11h às 16h
Entrada gratuita

Abismo das superfícies I e II, vídeo de Maria Laet na 33ª Bienal de São Paulo<br />Foto divulgação

Abismo das superfícies I e II, vídeo de Maria Laet na 33ª Bienal de São Paulo
Foto divulgação

Maria Laet participa da 33ª Bienal de São Paulo

source

share


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided