Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

bookshelf

Urbanismo em fim de linha

Urbanismo em fim de linha

E outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica

Otília Beatriz Fiori Arantes

Edusp, São Paulo; 1ª edição, 1998
CDD 724.6981 A662u

edition: português
paperback
224 p
18 x 26 x 1 cm
600 g
illustrated
B&W
photos
drawings
ISBN 85-314-0465-7

(história do urbanismo, teoria do planejamento urbano e regional)

Urbanismo em fim de linha

about the book

Nos ensaios reunidos neste volume, escritos entre 1988 e 1997, Otília Arantes reflete sobre as razões do esgotamento do Movimento Moderno, processo talvez difícil de analisar no Brasil, dado o sucesso da modernidade arquitetônica entre nós. Partindo da análise e refutação dos principais estereótipos sobre o colapso da Arquitetura Moderna, procura mostrar como esse esgotamento ocorreu por absoluta conformidade às promessas de nascença daquela arquitetura, no centro e na periferia do sistema mundial. Modernidade e pós-modernidade não são propriamente pólos alternos, mas seguem um mesmo processo de ajuste da sociedade às reviravoltas que dá o capitalismo para continuar o que sempre foi, e de cujas metamorfoses a paisagem urbana - tema central da segunda parte do livro - é a fachada mais visível.

Na Idade de Ouro do Movimento Moderno, ninguém duvidava do lugar da arquitetura numa sociedade em mudança: na linha de frente do progresso. Chegamos hoje ao fim da linha. À medida que o programa funcional moderno definhava, consumido pelas suas mais autênticas realizações, até sucumbir ao sempre-igual das formas esvaziadas, aquela antiga certeza foi se apagando e por fim extinguiu.

Deu-se então uma nova reviravolta, como aliás era de se prever num programa de resistência impregnado pelos ares do tempo, que eram de franca apologia neoconservadora. Assim, tanto a preservação do patrimônio arquitetônico, quanto a renovação respeitosa do entorno, acabaram se transformando numa espécie de alegação ideológica dos gestores urbanos, em princípio empenhados na recomposição do tecido social; de fato, apertando os controles do mando e das segregações, suavemente legitimados pela inflação muito econômica de uma panacéia chamada cultura.

about the author

Otília Beatriz Fiori Arantes
É mestre em filosofia pela FFCLH/USP e doutora pela Universidade de Paris I. Lecionou Filosofia na PUC/SP e Estética na FFLCH/USP. Fundou o Centro de Estudos de Arte Contemporânea (CEAC).

how to quote

ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Urbanismo em fim de linha. E outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica. São Paulo, Edusp, 1998.

comments

magazines

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided