Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

bookshelf

Obituário arquitetônico

Obituário arquitetônico

Pernambuco modernista

Luiz Manuel do Eirado Amorim

Editora UFPE, Recife; 1ª edição, 2007

edition: português
paperback
212 p
15,2 x 16 x 1,6 cm
500 g
illustrated
B&W
photos
ISBN 978-85-907-3040-8

(história da arquitetura, patrimônio)

Obituário arquitetônico

about the book

O tema da conservação do patrimônio modernista do estado de Pernambuco é tratado aqui sob a ótica da demolição e descaracterização de seus exemplares mais significativos. A perda destes exemplares é interpretada como uma morte arquitetônica, que é revelada através de diversas facetas. Esta morte pode ser prematura, quando mata antes mesmo da arquitetura se tornar plena em forma, função e espaço. Pode ser por abandono, quando dela se esvaem sentidos, funções, pessoas; ou motivada por ocaso natural, quando se deve a mazelas de nascença. Pode ainda se processar por transfiguração, quando ao espelho não se reconhece ou quando suas entranhas não mais obedecem ao sentido que lhes foi dado. Pode acontecer, ainda, pela presença parasitária de usos não previstos que a carcomem por dentro e por fora. Mas a pior das mortes é a anunciada, aquela prescrita nas normas dos homens, que estabelecem o princípio de que trocar uma arquitetura por outra é um bom negócio.

O obituário arquitetônico, que contém a inscrição de alguns mortos ilustres, é acompanhado de um registro com o natalício dos vivos que os substituíram. Colocados face a face, por meio de registros fotográficos e projetos arquitetônicos, deixam revelar as naturezas que os distinguem além do fato vital de um existir e o outro não, como os conceitos arquitetônicos que fundamentaram suas criações, os usos abrigados, as técnicas e os materiais de construção utilizados, e os hábitos e costumes impregnados na forma de organizar seus espaços.

Alguns mortos parecem ter tombado em vão. Em outros casos, o recém-nascido tem personalidade própria. Esse julgamento deve ser feito segundo a observância de muitos aspectos, dos mais subjetivos, ligados à memória e aos sentimentos individuais que tal obra emana, aos mais objetivos, como os impactos nas condições ambientais locais, no fluxo de veículos, na demanda por infraestrutura urbana, entre outros. O julgamento é vosso.

about the author

Luiz Manuel do Eirado Amorim
Arquiteto e Urbanista formado pela UFPE.PhD em Advanced Architectural Studies na Bartlett School of Graduate Studies University College London. Hoje é professor associado da UFPE.

how to quote

AMORIM, Luiz Manuel do Eirado. Obituário arquitetônico. Pernambuco modernista. Recife, Editora UFPE, 2007.

comments

Obituário arquitetônico

resenhas desse livro
por Fernando Luiz Lara

outros livros

share

Luiz Manuel do Eirado Amorim

A casa nossa de cada dia

Luiz Manuel do Eirado Amorim and Lúcia Leitão (Orgs.)

Editora UFPE, 2007

Morte e vida severinas

Nelci Tinem and Luiz Manuel do Eirado Amorim (Orgs.)

Editora Universitária PPGAU/ UFPB, 2012


magazines

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided