Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

bookshelf

A travessia da calunga grande

A travessia da calunga grande

Três séculos de imagens sobre o negro no Brasil 1637-1899

Carlos Eugênio Marcondes de Moura

Coleção Uspiana Brasil 500 anos

Edusp, São Paulo ; 1ª edição, 2000

edition: português
paperback
691 p
23 x 29 x 4 cm
2500 g
illustrated
fullcolor
ISBN 85-314-0560-2

(história do brasil)

A travessia da calunga grande

about the book

O abatimento físico e moral, doenças, maus tratos, assassinatos em massa, marcaram a travessia da Calunga Grande. Os cativos que aqui chegaram - e é assim que se entendiam, pois, mais do que escravos, consideravam-se prisioneiros - são os protagonistas de uma narrativa que este livro se propõe a ilustrar, rastreando sua presença, sua contribuição e a de seus descendentes na construção deste país, ao longo de três séculos.

A pesquisa de que resultou esta publicação procurou as imagens do negro nas mais variadas fontes: literatura de viagens, iconografia produzida pelos artistas viajantes, revistas ilustradas do Segundo Reinado e fotografia. Óleos sobre tela e madeira, desenhos, gravuras, esculturas charges e caricaturas, daguerreótipos, ambrótipos, fotos sobre papel albuminado: cada uma das imagens criadas nesses diferentes suportes é documento de extraordinário interesse para a história social. O conjunto surpreende por sua diversidade e riqueza. Com efeito, foram catalogadas cerca de 2.600 imagens, das quais pouco mais de 500 são reproduzidas. Elas se reportam a três momentos: a invasão holandesa, no século XVII, quando surgem os registros pioneiros sobre o afro-negro e que se devem aos artistas trazidos por Maurício de Nassau; a parca iconografia do século XVIII, conseqüência da inacessibilidade do interior da colônia ao estrangeiro, sobretudo em se tratando das regiões de mineração de ouro e diamantes; a multiplicidade de imagens no século XIX, resultante da abertura dos portos, após a chegada da corte portuguesa, e da vinda de expedições científicas, de diplomatas, negociantes, engenheiros militares, viajantes e, sobretudo, de alguns artistas talentosos, que nos legaram uma documentação riquíssima sobre o cotidiano da vida no Brasil. A estes estrangeiros viriam juntar-se, na segunda metade do oitocentos, os caricaturistas e litógrafos Henrique Fleiuss, alemão e Angelo Agostini, ita1iano, os fotógrafos Christiano Jr., ao que tudo indica português, e Victor Frond, francês, que se incluem entre os pioneiros do jornalismo ilustrado e da fotografia entre nós.

about the author

Carlos Eugênio Marcondes de Moura
Doutor em Sociologia pela USP e tradutor. Foi professor do Serviço de Teatro da Universidade do Pará e do Departamento de Teatro da Escola de Comunicações e Artes da USP.

how to quote

MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de. A travessia da calunga grande . Três séculos de imagens sobre o negro no Brasil 1637-1899. Coleção Uspiana Brasil 500 anos, volume 06. São Paulo, Edusp, 2000.

comments

magazines

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided