Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

architexts ISSN 1809-6298


abstracts


how to quote

BELLEZA, Gilberto. Roberto Cerqueira César (1917–2003). Arquitextos, São Paulo, ano 04, n. 038.07, Vitruvius, jul. 2003 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/04.038/671>.

Faleceu no ultimo dia 25 de junho o engenheiro arquiteto Roberto Cerqueira César.

Roberto Cerqueira César (São Paulo, 1917) era formado engenheiro arquiteto pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e era o único remanescente que assinou a ata de fundação do Departamento de São Paulo do Instituto de Arquitetos do Brasil em 1943.

Trabalhou e foi sócio de Rino Levi desde sua formação, sendo um dos mais importantes arquitetos que participaram da introdução da arquitetura moderna em São Paulo.

Foi professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e teve importante participação junto à atividade publica; primeiro Presidente da EMURB – Empresa Municipal de Urbanização, primeiro Presidente da COGEP – Coordenadoria Geral de Planejamento, depois SEMPLA – Secretaria Municipal de Planejamento de São Paulo, e primeiro Secretario Estadual de Negócios Metropolitanos de São Paulo, entre outros.

Como sócio do escritório Rino Levi teve a participação em vários trabalhos que marcaram a arquitetura Paulista e Brasileira, entre eles, o Edifício Prudência, o Teatro Cultura Artística, o cine Ipiranga, o Hospital Albert Einstein, o Hospital do Câncer, o Centro Cívico de Santo André e a Sede da Fiesp na Avenida Paulista, além do terceiro lugar no Concurso de Brasília.

Tive pessoalmente a oportunidade de trabalhar com ele, Dr. Roberto como o chamávamos, ou também “Robertão” como também era conhecido, por sua presença e impostação de voz grossa, era uma pessoa incrível. Acho que era um dos poucos exemplos ainda que tinham uma completa atuação de arquiteto. Lembro de quando trabalhava com ele no escritório Rino Levi, naquelas grandes pranchetas elevadas, ficava fascinado com sua dedicação e entusiasmo ao projeto, qualquer que fosse ele. Sentava-se na sua cadeira, com sua lapiseira leve de alumínio, de grafite grossa e já sem cor de tanto uso, e desenhava tudo referente ao projeto. Desenvolvia todo o projeto e avançava até nos detalhes de banheiro, que muitos grandes profissionais não querem nem saber como serão resolvidos.

Lembro me quando projetava o auditório do SESI de Osasco, foi o responsável por tudo. Desenhou o auditório, calculou todos assentos, todo o projeto acústico com as placas reverberadoras e suas inclinações alcançadas após rigoroso estudo de reverberação do som, a luminotécnica, após estudo de cada ponto e seu alcance geral, enfim tudo seria resolvido por seu desenho. Era uma atividade que fascinava os jovens pelo conhecimento e pela dedicação. Quando digo que teve uma atuação completa como arquiteto é porque esse tipo de atuação se deu em várias frentes e sempre com muita qualidade. Dessa mesma maneira atuou em planejamento, junto com Rino no famoso projeto de Brasília que obteve o terceiro lugar e foi o mais ousado em tecnologia e avanço, além do importante papel como dirigente publico sendo o responsável pela criação dos primeiros organismos de planejamento da cidade de São Paulo.

Atuou também na área de ensino como professor da FAU-USP e depois na FAU da UnB, e foi um dos fundadores do IAB-SP em 1943 e um dos autores de nossa sede, onde sempre participou e onde foi candidato a presidente, numa grande disputa com Pedro Paulo de Melo Saraiva. Foi várias vezes homenageado pelo IAB, a mais recente, em 2002, recebida por sua filha pelo tombamento de nossa sede. Enfim teve uma atuação completa, honrando sempre nossa profissão, e valorizando sempre nosso trabalho.

Uma das últimas recordações que tenho de Roberto Cerqueira César foi no Concurso para o Centro Cívico de Votorantim, um concurso organizado pelo IAB. Quando cheguei na cidade para conhecê-la, com um grupo jovem de colegas da equipe, encontrei-o com Paulo Bruna,  também vistoriando o local, e ele me viu e me apontou, de maneira muito brincalhona, a direção errada do local a ser desenvolvido o concurso, dizendo e rindo : “É por ali”.

Fiquei muito em duvida de escrever um depoimento tão pessoal assim, mas no fim aceitei como uma necessária informação aos mais jovens de como nossa profissão poderia ser exercida em toda sua plenitude, com competência, qualidade e preocupação profissional.

sobre o autor

Gilberto Belleza é arquiteto, mestre e doutorando pela FAU-USP, professor de TFG da FAU MACKENZIE, sócio diretor do escritório G. Belleza, M. Pereira & M. C. Batalha Arquitetos Associados, e presidente do IAB-SP e vice-presidente nacional do IAB.

comments

038.07
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

038

038.00

Ainda sobre o XVII Congresso Brasileiro de Arquitetos. Arquitetura e urbanismo em face da Globalização (editorial)

Sergio Moacir Marques

038.01

Arquitetura moderna na praia

Residências na Praia de Pernambuco, Guarujá

Maurício Azenha Dias

038.02

Aspectos urbanísticos da Exposição Internacional de Lisboa 1998

Fabiano de Vargas Scherer

038.03

Arquitetura como discurso

O Pavilhão Brasileiro em Osaka de Paulo Mendes da Rocha (1)

David Sperling

038.04

Arquitetura é fracasso?

Danilo Matoso Macedo

038.05

Fora do centro: a lógica das extensões

Qual tem sido o destino dos "edifícios antigos" fora dos centros históricos brasileiros? O caso de Salvador

Márcio Correia Campos

038.06

Teatro do Parque Ibirapuera: em nome de quem?

Cecília Rodrigues dos Santos

038.08

Praça Fleming: um conjunto residencial orgânico?

Izabel Amaral and Guilah Naslavsky

038.09

Paulo Mendes da Rocha: os lugares como páginas da dissertação de uma existência

Cecília Rodrigues dos Santos

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided