Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
O "Trem das Onze", famoso pelas letras de Adoniran Barbosa, não contava até hoje com fotos coloridas em sua iconografia mais conhecida, lacuna corrigida com a descoberta de Martin Jayo.

how to quote

JAYO, Martin. Quaiscalingudum. Iconografia do Trem das Onze de Adoniran Barbosa. Drops, São Paulo, ano 16, n. 105.08, Vitruvius, jun. 2016 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/16.105/6078>.



“Não posso ficar / Nem mais um minuto com você / Sinto muito, amor / Mas não pode ser / Moro em Jaçanã / Se eu perder esse trem / Que sai agora às onze horas / Só amanhã de manhã”
Adoniran Barbosa, Trem das Onze

Imortalizado no samba de Adoniran Barbosa (1), o trem da Cantareira (ou tramway da Cantareira, como também era chamado) é lendário em São Paulo.

Mas embora esteja tão presente na memória afetiva da cidade, as fotos que restaram dele não costumam ter qualidade. A internet está cheia delas, mas são imagens em preto e branco, com baixa resolução e pouca nitidez.

Por isso eu fiquei surpreso quando descobri estas. Nunca tinha visto fotos do trem a cores, e muito menos com esta riqueza de detalhes. Destaque para a estação Guarulhos, que por sinal continua em pé até hoje, embora evidentemente não seja mais usada como estação.

As fotos são de setembro de 1963 (essa é a data da revelação, impressa na moldura dos slides kodachrome). Foi justamente nessa época que Adoniran compôs o samba, que seria lançado em disco, pelos Demônios da Garoa, em 1964.

O trem, que circulava desde 1893, foi desativado menos de dois anos depois destas fotos.

As fotos são reproduzidas de slides de 35 mm da época, que apareceram à venda em Bethlehem, no estado americano da Pensilvânia. Como foram parar lá, não faço ideia. Mas fico feliz de tê-las achado e poder dar esta pequena contribuição à memória iconográfica do trem das onze.

notas

NE – publicação original do texto: JAYO, Martin. Quaiscalingudum. Blog Quando a cidade era mais gentil, São Paulo, 20 jun. 2016 <https://quandoacidade.wordpress.com/2016/06/20/quaiscalingudum/>

1
Adoniran Barbosa, Trem das Onze. Versão com Demônios da Garoa <https://www.youtube.com/watch?v=a4B37kZjAYc>; versão com Adoniran Barbosa <https://www.youtube.com/watch?v=ceBdGz3eTFg>.

sobre o autor

Martin Jayo é professor da EACH-USP e editor do blog “Quando a cidade era mais gentil”.

 

comments

105.08 patrimônio
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

105

105.01 patrimônio em risco

Carta aberta pública a Michel Temer, Presidente da República Interino

Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

105.02 homenagem

Muhammad Ali

Quando o impossível é apenas o hipotético e o temporário

Nabil Bonduki

105.03 patrimônio em risco

Manifesto em defesa do Iphan

Convocatória para abaixo-assinado

Silvana Rubino, Silvio Oksman, Sabrina Fontenele, Deborah Neves and Eduardo Costa

105.04 homenagem

Tunga, 1952-2016

Paulo Miyada

105.05 patrimônio em risco

Nota sobre Iphan e MinC

Secretaria Especial do MinC preocupa arquitetos brasileiros

Instituto de Arquitetos do Brasil IAB-DN

105.06 homenagem

Rosa Kliass, nova Cidadã Paulistana

Lucia Maria Sá Antunes Costa

105.07 homenagem

Carlos Leão: arquitetura

Um sonho de Jorge Czajkowski que se cumpre

Abilio Guerra

105.09 homenagem

O livro sobre o arquiteto Carlos Leão

Pedro da Luz Moreira

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided