Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Segundo Ana Maria Belluzzo, a instalação artística “Corpo de prova”, de Marcia Pastore, na marquise do Mube, edifício projetado por Paulo Mendes da Rocha, “conecta espaços e tempos, acumula saberes, subentende forças mecânicas”.

how to quote

BELLUZZO, Ana Maria. Corpo de prova. Instalação artística de Marcia Pastore no MuBE. Drops, São Paulo, ano 18, n. 121.04, Vitruvius, out. 2017 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.121/6721>.



O território da escultura pensado por Paulo Mendes da Rocha nasce ao ar livre, em pequena extensão com frente para duas ruas, num convite à franca visibilidade dos limites do lote, dos desníveis do solo, do recorte dos jardins.

Ele conta que implantou o museu a partir de uma “pedra no céu”, figurando o ato inaugural da cobertura de concreto protendido de sessenta metros de comprimento, flutuando sobre o terreno. A marquise baliza o projeto no horizonte da avenida Europa e se torna primordial para a estruturação do espaço do museu em níveis, chegando a cota mais baixa no fundo do terreno. A plenitude estética dos projetos do Paulo contém, em si, questões da pintura e da escultura contemporânea. Por seu turno, artistas introduzem obras na configuração espacial do edifício a partir das próprias indagações, das próprias poéticas. Adentram, por imprevisíveis apropriações, o domínio espacial de âmbito comum. O que faz o MuBE um espaço vivo. É significativa tal reciprocidade entre artes e arquitetura, considerando a linguagem escultórica reintroduzida em especificidades locais e centrada na questão ambiental.

Nesta ocasião, Marcia Pastore realiza uma ação física diretamente sobre a marquise. Veste o bloco para desnudá-lo sob outra perspectiva, atenta a materialidade dos corpos, subordinados ao equilíbrio de forças. Sem se antecipar em desenho prévio, a proposta surge num corpo a corpo local. Dá lugar a um jogo de garras e amarrações, pesos e contrapesos a tatear o bloco. Ele é oferecido na montagem de ready mades, escolhidos em lojas de material para a indústria da construção – sargentos, ganchos, encaixes e travas, roldanas e cabos de aço e notadamente fios de prumo –, que dão conta da geometria final. E com que graça! Até mesmo as peças de lastro não são extraídas do solo, mas cortadas de laje em canteiro de demolição. A obra conecta espaços e tempos, acumula saberes, subentende forças mecânicas. Introjeta longo arco de esforço humano.

nota

NE – texto sobre a exposição “Corpo de prova”, de Marcia Pastore, Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia – MuBE, São Paulo, de 07 outubro a 21 de novembro de 2017.

sobre a autora

Ana Maria Belluzzo é graduada em Curso Para Formação de Professores de Desenho (FAAP, 1966), mestre em Artes, doutora em arquitetura e urbanismo, e livre-docente (USP, 1980, 1988 e 1997). É professora titular de História da Arte (FAU USP, 1998-1999) e professora colaboradora no curso de pós-graduação da mesma escola. É membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte, Comitê Brasileiro de História da Arte, International Center for the Arts of the Americas do Museum of Fine Arts (Houston) e Conselho de Orientação Artística da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Trabalha como curadora independente.

Corpo de prova, de Marcia Pastore, Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia – MuBE, São Paulo
Foto Marcelo Arruda

 

comments

121.04 exposição
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

121

121.01 cultura

Tempos sombrios

José Lira

121.02 política cultural

Carta ao prefeito de São Paulo

Sobre o nu no MAM-SP

Paulo Miyada

121.03 arte

Lygia Clark: todo bicho tem articulações

Afonso Luz

121.05 cultura

Sobre os últimos acontecimentos

A arte, a alma, os inquisidores

Marcia Tiburi

121.06 censura

Por moralismo torpe, pessoas decidem eliminar a reflexão e neutralizar a arte

Jorge Coli

121.07 patrimônio

Desafios do restauro moderno

Abilio Guerra

121.08 produtividade

Sobre urubus, sabiás e sucupiras

Processo de avaliação da produção em arquitetura e urbanismo

Paulo Afonso Rheingantz

121.09 ignomínia urbana

O retrocesso

Arquitetura defensiva aliada à exclusão social

Vinícius de Moraes Ribeiro

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided