Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Afonso Luz comenta a surpresa em flagrar as delícias sonoras que evocam uma cosmologia de signos e sons que lhe havia passado desapercebido ao longo dos anos.

how to quote

LUZ, Afonso. O quimbundo que tatua o português. Drops, São Paulo, ano 18, n. 122.05, Vitruvius, nov. 2017 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/18.122/6774>.



Recentemente, muito recentemente, tive meu primeiro contato de pesquisa com idiomas bantos, o que me fez sentir o tamanho do desconhecido que há em mim mesmo.

Me pareceu inacreditável que nos meus 42 anos de existência produzindo sons com minha própria boca não tivesse me dado conta, de verdade, como no Brasil nossa língua é tatuada por esta presença africana através do quimbundo de Angola e como boa parte de nossas delícias sonoras significantes evocam uma cosmologia de signos e sons que durante anos me fugiu na sua vibrante semântica inscrita no que dizia.

Claro, eu já tinha lido genericamente sobre isso, sabia meia dúzia de palavras que identificava com o mundo africano no Brasil, sempre nessa genérica lógica do reconhecimento, mas nunca tinha mergulhado nesse universo como quem joga seu jogo de decifrações e sentidos olhando para um campo etimológico de verdadeira presença no meu cotidiano de uso das palavras.

E eu fiquei sonhando um dia em que o Google Translator ou alguma boa editora lançasse um dicionário completo quimbundo-português para que pudesse me perder definitivamente dentro dele.

sobre o autor

Afonso Luz é crítico de arte, formado em filosofia pela Universidade de São Paulo, e pesquisador na área de estética e história da arte. Foi consultor do programa Monumenta – Iphan/BID/Unesco para Economia da Cultura, Artes Visuais e Crítica Cultural. Assessorou o Ministério da Cultura na gestão de Gilberto Gil e coordenou o Programa “Cultura e Pensamento”. Coordenou o Comitê Brasileiro de Internacionalização e Economia da Arte e o Programa Brasil Arte Contemporânea (MinC). Foi Diretor de Estudos e Monitoramento e Secretário Adjunto de Políticas Culturais do Ministério da Cultura. Foi diretor do Museu da Cidade de São Paulo e do Arquivo Histórico Municipal. Atualmente é curador do Instituto Sergio Rodrigues e mora em Nova York.

 

comments

122.05 cultura negra
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

122

122.01 renovação

Reabilitação do edifício Rizkallah Jorge

Luiz Fernando de Azevedo Silva and Célia Regina Moretti Meirelles

122.02 exposição

Toda nudez será castigada

Jorge Coli

122.03 memória

Contra o esquecimento e o silêncio

Sobre a antiga Escuela Superior de Mariña Armada e os espaços da memória

Silvio Oksman

122.04 patrimônio

Um encontro improvável

José Celso Martinez Corrêa, Lina Bo Bardi e Silvio Santos

Vittorio Degli Innocenti

122.06 gentrificação

Disputando o poder

A lógica do capital e sua apropriação da cidade

Marcos Antonio Francelino da Silva

122.07 evento

Advanced Building Skins 2017

A essência da arquitetura do século 21

Gabriela Celani and Rodrigo Velasco

122.08 tempos temerários

Sobre o ataque do MBL à exposição Queermuseu em Porto Alegre

Afonso Medeiros

122.09 tempos temerários

Agressão à liberdade de expressão

Nota oficial da UFPA

Emmanuel Zagury Tourinho

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided