Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Abilio Guerra comenta a exposição fotográfica “Paisagens de pedra”, do arquiteto paisagista José Tabacow, que registra paisagens naturais em diversos países da América Latina.

how to quote

GUERRA, Abilio. Paisagens de pedra. Sobre as fotografias de José Tabacow. Drops, São Paulo, ano 19, n. 133.02, Vitruvius, out. 2018 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/19.133/7134>.



Um dos aspectos mais enérgicos do caráter multifacetado do arquiteto paisagista José Tabacow é sua disponibilidade – que rapidamente se transforma em disposição – para viajar. Suas viagens, entretanto, jamais seguem o manual do turismo burguês, afeito ao conforto domesticado. Suas expedições ao longo das décadas equilibram o extremo zelo em prever as dificuldades inevitáveis em sítios ermos – veículo resistente com grande autonomia seria a mais importante preocupação – e uma absoluta predisposição à imprevisibilidade do caminho a seguir, ao encontro fortuito com o homem local, ao espanto frente a maravilha natural de localidades agrestes que o continente sul-americano ainda abriga...

O gosto pela estrada surgiu ao acompanhar seu mentor nas expedições de estudo e coleta que fazia pelo país. “Aprendi a olhar as paisagens brasileiras com Burle Marx desde muito jovem e mantenho meu interesse aceso, pois sempre há o que descobrir” (1), disse Tabacow certa vez. Tais excursões têm uma bela linhagem: as “viagens de redescoberta do Brasil” dos modernistas nos anos 1920, com o turista aprendiz Mario de Andrade à frente; e as viagens de pesquisa dos arquitetos do Sphan liderados por Lúcio Costa, que a partir de 1937 registrariam a “documentação necessária” da arquitetura colonial.

Seria equivocado supor que o hábito de José Tabacow contém alguma ambição utilitária (há muito a legislação não permite a coleta). Melhor encontrar a causa em seu assombro diante do espaço incomensurável, das mutações sutis ou repentinas da luz natural, dos perfumes e texturas da vegetação, dos barulhos de ventanias e trovões. Fascínio que converge em prazer sensual tão intenso que o paisagista recusa guardar consigo de forma egoísta. “Ao contrário”, como ele já disse em outra ocasião, “há um frustrante sentimento de não conseguir mobilizar as pessoas a partilhar tanta beleza comigo” (2).

As imagens da presente exposição (3) devem ser entendidas sob tal perspectiva. Não são registros profissionais de um fotógrafo dedicado a retratar a natureza – caso de seu amigo Luiz Cláudio Marigo (4), que o acompanhou em tantas expedições –, mas fotografias amparadas pela visão de um apreciador do caminho, que deambula para chegar a lugar algum e quer apenas desfrutar da natureza que se apresenta diante de si. Assim, o olhar experiente e criativo do paisagista converte os aspectos plásticos do território em “paisagens” dignas de um fotógrafo talentoso.

Como a seleção de fotografias apresenta diversos elementos naturais, o título estrito “Paisagens de pedra” merece um comentário final. As fotos registram algo ausente, do qual só se vê tênues vestígios: as marcas da transformação no tempo. Desfiladeiros, cânions, grutas, montanhas e chapadas têm inscritos em seus minérios as fendas, fraturas e buracos provocados por movimentos geológicos ou erosão. E sobre elas se depositam e se engastam o sal e a poeira leves e inconstantes. As rochas nos avisam: estamos diante de eras que escapam à vida humana. As “Paisagens de pedra” de José Tabacow registram o tempo imemorial da natureza.

nota

1
GUERRA, Abilio. José Tabacow. Entrevista, São Paulo, ano 07, n. 028.02, Vitruvius, out. 2006 <www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/07.028/3299>. O trecho se encontra no módulo 8 da entrevista.

2
Idem, ibidem, módulo 8.

3
O presente artigo foi escrito para ser o “texto de parede” da exposição fotográfica "Paisagens de Pedra", de José Tabacow. XIV Enepea, Centro de Convenções da UFSM, Santa Maria RS, abertura em 02 de outubro de 2018.

sobre o autor

Abilio Guerra é professor da FAU Mackenzie e editor, com Silvana Romano Santos, do portal Vitruvius e da Romano Guerra Editora.

 

comments

133.02 exposição
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

133

133.01 apropriação urbana

Do garimpo urbano

Shopping-chão nas calçadas do bairro da Glória

Luiz Carlos Toledo

133.03 homenagem

Ao amigo Paulo Jardim de Moraes

Pablo César Benetti

133.04 exposição

A desmontagem do monumento de Tátlin e o momento brasileiro

Vitor Pena

133.05 memória

Rua Maria Antônia

Em memória de 1968

Diogo Cavallari Bella, Isadora Marchi de Almeida and Victor Berbel Monteiro

133.06 política e educação

Manifestação da Anparq sobre a situação nacional

Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo comenta os riscos à democracia presentes no processo eleitoral de 2018

133.07 homenagem

O centenário da Bauhaus

Ethel Leon

newspaper


© 2000–2018 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided