Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Segundo Carlos A. Ferreira Martins, nas cores reais e simbólicas dominantes atualmente nas cidades de São Carlos e Brasília se expressam, nas escalas nacional e regional, os desmandos da atual política nacional.

how to quote

MARTINS, Carlos A. Ferreira. Chega logo, Momo! O verde azul são-carlense versus o laranja brasiliense. Drops, São Paulo, ano 19, n. 137.05, Vitruvius, fev. 2019 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/19.137/7267>.



Eu vinha pensando que estava na hora de mudar de assunto e, por exemplo, agradecer ao secretário de Transporte e Trânsito Coca Ferraz pela magnífica homenagem ao Brasil em que ele está convertendo a cidade de São Carlos.

De fato, ninguém pode deixar de se emocionar com as ruas pintadas com o azul de nosso céu e da nossa bandeira. Ou com o aumento de área verde da cidade. Só os ranzinzas argumentarão que pintar cimentados não conta no índice de áreas verdes por habitante. Eles – sempre chatos – vão dizer que tanto verde não dá sombra nem aumenta a permeabilidade do solo. Não percebem que o importante é homenagear nossa bandeira e nossas florestas.

Aliás, também deveríamos agradecer ao prefeito Airton Garcia e sua eficiente equipe por trazer a cidade para a era da inovação: distribuir carnets de IPTU um dia depois do vencimento é para quem pode e não para quem quer.

Mas a competição está muito difícil. Nossa capital do clima, da tecnologia, do conhecimento e agora, da inovação, está com dificuldades para competir com a outra capital, aquela que opera na ponte área Brasília – Einstein.

Ainda faltam duas semanas para a chegada do que antigamente se chamava de tríduo momesco. Quem é o Momo não vem ao caso, como sempre nos lembra o ministro. Mas o “nada acontece no Brasil antes do Carnaval” não se aplica mais.

Ainda faltam duas semanas para a chegada, não de Momo mas das celebridades siliconadas que serão as novas “musas”, e amanhã saberemos se o ministro da Secretaria Geral da presidência da república foi demitido ou se prevaleceu a sua ameaça de arrastar consigo o presidente.

Enquanto nós temos a Festa das Flores, o Brasil se descobre um grande laranjal. Esta semana alguém lembrava que se o primeiro ministro cair com menos de dois meses de mandato, Altomani vai perder o seu registro no Livro dos Recordes do Guiness.

Nossas ruas expressam nossa bandeira ou o Brasil está com inveja de São Carlos?

sobre o autor

Carlos A. Ferreira Martins é professor titular do IAU USP São Carlos.

 

comments

137.05 política
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

137

137.01 política

Os monstros moram ao lado

Carlos A. Ferreira Martins

137.02 ensino

Trotes

O afogamento do espírito

Roberto Romano

137.03 homenagem

Robert Ryman

A pintura minimalista e os vestígios da mão

Rodrigo Queiroz

137.04 legislação

Tragédia no Ninho do Urubu é reflexo do descaso com projeto

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro

137.06 política

Guerra ou paz

A ajuda humanitária dos amigos da onça

Carlos A. Ferreira Martins

137.07 sociedade

Uma ponderação

Sobre o ridículo e a vingança dos poderosos

Roberto Romano

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided