Seu navegador está desatualizado.

Para experimentar uma navegação mais interessante, recomendamos que você o atualize clicando em um dos links ao lado.
Todos são gratuitos e fáceis de instalar.

 
  • em vitruvius
    • em revistas
    • em jornal
  • \/
  •  

pesquisa

revistas

entrevista ISSN 2175-6708

sinopses

português
Daniela C. Lima entrevista o arquiteto Sérgio Ferro, que fala sobre o tema do canteiro de obras, com ênfase na divisão do trabalho, nas relações sociais de produção nele existentes e as experiências realizadas na década de 1950 pelo grupo Arquitetura Nova

english
Daniela Colin Lee interviews the architect Sergio Ferro, a conversation about a construction site, with emphasis on the division of labor and social relations of production within it and the experiences made in the 1950s by the Grupo Nova Arquitetura

español
Daniela C. Lima entrevista al arquitecto Sérgio Ferro, sobre el tema del cantero de obras, con énfasis en la división del trabajo y en las relaciones sociales de producción existentes en él y las experiencias realizadas en la década de 50

como citar

LIMA, Daniela Colin. Sérgio Ferro. Entrevista, São Paulo, ano 07, n. 027.01, Vitruvius, jul. 2006 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/07.027/3301>.


Residência Bernardo Issler, Cotia, 1961. Arquiteto Sérgio Ferro

Entrevista com Sérgio Ferro
Daniela Colin Lima

Quando ainda cursava o colégio técnico, eu já me incomodava com a distância existente entre o pensar e o fazer dentro de um canteiro de obras. Numa tentativa de aliar o trabalho intelectual, como projetista, ao trabalho manual do operário, passei a freqüentar um curso de prática em alvenaria e revestimentos, oferecido pelo SENAI e no qual, como era de se esperar, eu era a única participante que possuía algum conhecimento de desenho na área da construção civil.

Contudo, minhas indagações sobre a opressão no canteiro de obras e sobre a nítida e violenta separação entre o trabalho intelectual e o manual permaneciam. Em 2001, eu ingressei na Universidade Estadual Paulista e durante o curso de arquitetura e urbanismo, consegui obter algumas respostas. Foi quando um professor do departamento de ciências humanas me apresentou o livro “O Canteiro e o Desenho” escrito por Sérgio Ferro, e que, junto com o estudo das experiências realizadas a partir do final da década de 50 pelo grupo Arquitetura Nova, formado pelos arquitetos Sérgio Ferro, Rodrigo Lefèvre e Flávio Império, me levaram a pesquisar o tema do canteiro de obras, com ênfase na divisão do trabalho e nas relações sociais de produção nele existentes.

Com o financiamento da FAPESP, desenvolvi durante o ano de 2005, uma pesquisa de iniciação científica sobre a questão pedagógica no canteiro de obras e pude, então, contar com a generosa e valiosa colaboração do Arquiteto Sérgio Ferro, que sempre atendeu prontamente as minhas solicitações. A entrevista a seguir foi realizada em duas etapas, ambas por telefone, tendo em vista que eu me encontrava no Brasil e Sérgio Ferro na França. A primeira parte foi feita em novembro de 2005, para integrar o relatório final de pesquisa e para fundamentar o meu trabalho final de graduação. Já a segunda entrevista, foi realizada alguns meses depois, em julho de 2006, com o objetivo de complementar algumas questões que surgiram após a reflexão e o amadurecimento do tema.

Espero com esta publicação, ampliar a discussão entre estudantes, professores, operários e arquitetos; oprimidos e opressores, para a importância de um assunto ainda hoje pouco discutido dentro da universidade e, muito menos, dentro do canteiro de obras.

Meus sinceros agradecimentos a Sérgio Ferro.

Residência Bernardo Issler, Cotia, 1961. Arquiteto Sérgio Ferro

comentários

027.01
sinopses
como citar

idiomas

original: português

compartilhe

027

jornal


© 2000–2019 Vitruvius
Todos os direitos reservados

As informações são sempre responsabilidade da fonte citada