Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

interview ISSN 2175-6708

abstracts

português
Hans-Michael Herzog é diretor artístico e curador da Casa Daros, projeto que abriu suas portas em março de 2013, na cidade de Rio de Janeiro. Com sede na Suíça, a Coleção Daros Latinamérica conta com acervo de cento e dez artistas e mil e duzentas obras.

english
Hans-Michael Herzog is Artistic Director and Curator of Casa Daros, a project opened to the public on March, 2013, in Rio de Janeiro. Headquartered in Switzerland, The Daros Latinamerica Collection has about 1,200 artworks by more than 110 artists.

español
Hans-Michael Herzog es director artístico de Casa Daros, proyecto lanzado en marzo del presente año en la ciudad de Río de Janeiro. Con sede en Suiza, la Colección Daros Latinoamérica cuenta con acervo de ciento diez artistas y mil doscientas obras.

how to quote

BUENAVENTURA, Julia. A nova casa. Abertura da Casa Daros no Rio de Janeiro. Entrevista, São Paulo, ano 15, n. 057.06, Vitruvius, mar. 2014 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/15.057/5093>.


Casa Daros. Pátio à noite
Foto Fabio Caffe [Imagens do Povo]

Casa Daros. Vista aérea do bairro do Botafogo
Foto Jaqueline Felix [Imagens do Povo]

Após uma década de conversas, pesquisas, aquisições e um meticuloso processo de remodelação, Casa Daros abrirá as portas de uma edificação cuja escala é, no mínimo, monumental.

Localizada em um extremo do bairro Botafogo de Rio de Janeiro, perto do Pão de Açúcar, os doze mil metros de área da Casa – cuja sede está na Suíça-- acolheram um acervo de cento e dez artistas e mil e duzentas obras.

Tudo começou em 1999, quando o curador alemão Hans-Michael Herzog expôs a colecionadora suíça Ruth Schmidheiny – que já contava com um importante conjunto de obras europeias e estadunidenses –, a idéia de iniciar uma nova coleção, esta vez de obras latino-americanas. Em 2004, foram planejadas as bases e objetivos gerais do programa, no qual duas particularidades podem ser destacadas; de um lado, o interesse em dar a palavra aos artistas, formar espaços para escutar suas vozes e seus pontos de vista, gerando pontes de conversação, hoje cada vez mais difíceis: os artistas não estão discutindo entre eles, menos ainda se são de países vizinhos. De outro, elaborar uma agenda na qual arte e educação esteja no mesmo patamar, revelando sua natureza comum como campos de comunicação e conhecimento. No começo de 2006, foi comprado o imóvel, lugar de exposições e atividades, ambas igualmente relevantes para o projeto, e, a partir daí, começou o processo de restauração do antigo prédio de estilo neoclássico construído em 1866, patrimônio da Cidade do Rio de Janeiro.

Casa Daros. Espaço dedicado a arte e educação
Foto Jaqueline Felix [Imagens do Povo]

A modernização da casa, sete anos de trabalho, envolveu levantar uma estrutura interna que fosse capaz de sustentar o peso que algumas obras exigirão no futuro; instalar sistemas anti-humidade, condicionadores de ar e isolantes de som e construir o auditório; processo em que, contudo, o edifício foi respeitado, de forma que o telhado original de barro manteve-se intacto, e as portas –cuja altura é a largura da rua em frente– restauradas, tirando capas e capas de esmalte branco que durante décadas cobriu-as, para deixar sua madeira a vista, o que constitui um verdadeiro espetáculo. É preciso dizer que os cupins foram expulsos, o que não é, certamente, uma tarefa simples. Sete anos de trabalho sobre a casa que estiveram acompanhados pela organização de seminários e encontros, exposições itinerantes, e por uma atividade de conhecimento do terreno, do contexto: Rio, Brasil, América Latina.

Hoje, diretoria da Casa Daros está formada pela brasileira Isabella Rosado Nunez, diretora geral, o cubano Eugênio Valdez Figueroa, diretor de arte e educação, e o próprio Hans-Michael Herzog, diretor artístico e curador da coleção e que deu a entrevista que acompanha este texto. Diálogo que decidi focar nesses assuntos que acostumamos nos perguntar com respeito a um curador ou colecionador: o que o leva a escolher uma coisa e não a outra?

Casa Daros. Salão de entrada
Foto Jaqueline Felix [Imagens do Povo]

notas

NA
Publicado originalmente em espanhol em Revista Arcadia, (Publicaciones Semana) Bogotá, Colômbia. <www.revistaarcadia.com>.

Publicado originalmente em português em Forum Permanente <www.forumpermanente.org>.

comments

057.06
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

057

057.01

Entrevista com o arquiteto paisagista Haruyoshi Ono

Antônio Agenor Barbosa and Stella Rodriguez

057.02

Gottfried Böhm e sua obra no Brasil

João Francisco Noll and Silvia Odebrecht

057.03 entrevista

Cherubino Gambardella

Sérgio Hespanha and Federico Calabrese

057.04

Entrevista com Ana Carla Fonseca Reis

Geise B. Pasquotto

057.05

Eva Kail: espacios inusuales en Viena

Eva Álvarez and Carlos Gómez

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided