Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

interview ISSN 2175-6708

abstracts

português
John Gero, pesquisador de ciência da computação e da arquitetura, concedeu entrevista à arquiteta Gabriela Izar sobre seu método analítico de estudo morfológico, que se aproxima em certa medida dos estudos formais precursores do CAD.

how to quote

IZAR DOS SANTOS, Gabriela. Entrevista com John Gero. Entrevista, São Paulo, ano 17, n. 067.01, Vitruvius, set. 2016 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/17.067/6209>.



Foto divulgação [cortesia de autor]

Em julho de 2016 se completou um ano da realização do CAAD Futures na cidade de São Paulo. O evento, de abrangência internacional e multidisciplinar, é dedicado a atualizar a experimentação no âmbito dos processos digitais e da arquitetura assistida por computador (Computer-Aided Architectural Design). No contexto do pensamento orientado pelas mais recentes descobertas na área de programação orientada ao objeto, o CAAD Futures 2015 contou com renomados palestrantes e jovens pesquisadores, que compartilharam o interesse nas tecnologias emergentes.

Dentre os palestrantes, o professor John Gero, pesquisador de ciência da computação e da arquitetura nas universidades da Carolina do Norte (Charlote) e na George Mason University (Virginia), concedeu entrevista à arquiteta Gabriela Izar. Atualmente, John Gero dedica-se à pesquisa em ciência do design (1), design da computação, inteligência artificial, desenho assistido por computador, pesquisa cognitiva em arquitetura. Sua contribuição bibliográfica inclui dezenas de livros, centenas de papers, e a recente criação do editorial Design Science, cujo objetivo é o de veicular textos que aprofundam a discussão cientifica desse campo de estudo.

Em artigo intitulado “Medindo o índice de informações de plantas arquitetônicas” (2), Gero aplica o método de análise por mapeamento baseado na codificação das notações de plantas baixas da arquitetura de igrejas medievais. Sua análise morfológica e evolutiva, dissociada de aspectos iconográficos e históricos, objetiva demonstrar, por meio de gráficos gerados da codificação dos símbolos, que na passagem para o século treze, a catedral gótica agrega mais complexidade espacial em relação à catedral românica.

Sincronizado com a tendência diagramática e paramétrica da cultura do design contemporâneo, seu método analítico de estudo morfológico aproxima-se em certa medida dos estudos formais precursores do CAD, desenvolvidos na Inglaterra dos anos setenta, por Lionel March e Robin Forrest, matemáticos que também se dedicaram a revelar conteúdos sobre espaço e forma arquitetônica a partir da codificação da informação em símbolos gráficos associados a variáveis numéricas. Assim, o trabalho de Gero poderia ser considerado como um marco contemporâneo no eixo da matematização da arquitetura, tendência que se estabeleceu a partir do desenvolvimento da computação no segundo pós-guerra.

Essa entrevista é dirigida ao público de estudantes de arquitetura e ao público interessado em conhecer algumas das ideias de Gero imbricadas na sua abordagem do design como ciência, na sua investigação dos processos cognitivos acionados e imbricados no desenho computacional. Organizado em quatro tópicos, o depoimento de condensa e atualiza com notável clareza e didática alguns dos aspectos sobre o raciocínio espacial operado com símbolos, em particular o raciocínio implicado na cognição espacial que se estabelece a partir da criação do projeto arquitetônico mediado por notações e pela lógica dos diagramas.

Atuando dentro de um campo considerado suficientemente amplo para abarcar o trabalho artístico e científico, Gero entende que o papel do designer consiste em dar forma aos requisitos do cliente, sejam esses motivados por aspirações simbólicas ou pela necessidade estritamente prática. Dentro do processamento da lógica simbólica do projeto, o arquiteto ou designer seria capaz de produzir novos significados e estabelecer relações lógicas que comunicam e realizam a finalidade do design, assim como ampliam seu próprio raciocínio sobre o processo.

Para o leitor familiarizado com a pesquisa cognitiva em arquitetura, será possível rever algumas ideias de John Gero sobre o potencial criativo do computador, as possibilidades que emergiram com o desenho automatizado, o papel dos diagramas na criação e na representação da forma, temas de sua longa e ampla investigação sobre o que ele chama de ciência do design (design science).

notas

1
NT: Na língua portuguesa, as palavras design e designer estão associadas ao termo que qualifica a profissão e o profissional de desenho industrial (no Dicionário Houaiss: “a concepção de um produto (máquina, utensílio, mobiliário, embalagem, publicação etc.), especialmente no que se refere à sua forma física e funcionalidade). Na tradução da entrevista, optou-se por não traduzir o termo, com a intenção de manter o sentido mais amplo da disciplina do design, que, hoje, abarca não só a variada gama de atividades de projeto, como também pressupõe um modo específico de pensar, que envolve dar forma às exigências de um programa. Esse é o aspecto que parece mais próximo das ideias de John Gero, aqui apresentadas. A tradução do termo ‘designing’, usada por Gero com um sentido bastante amplo, buscou o termo equivalente na rubrica do Dicionário Houaiss, que significa: “intenção de fazer ou realizar no futuro, plano, descrição escrita e detalhada de um empreendimento a ser realizado, plano, delineamento”.

2
GERO, John; JUPP, Julie. Measuring the information content of architectural plans. In HIPPOLYTE, P.L.; MIRALLES, E. (org.). SIGraDi Caracas 2002, Ediciones Universidad Central de Venezuela, Caracas, 2002, p. 155-158 <http://mason.gmu.edu/~jgero/publications/2002/02oGeroJuppoSIGraDi.pdf>.

comments

067.01
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

067

newspaper


© 2000–2017 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided