Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects  


abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Concurso Centro Histórico de Sumaré. Projetos, São Paulo, ano 02, n. 023.02, Vitruvius, dez. 2002 <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/02.023/2191>.


As propostas de transformação urbanístico-arquitetônica e estrutural, na cidade de Sumaré, vieram ao encontro de um processo de reformulação e discussão sobre a recuperação da qualidade do ambiente construído, bem como da preservação dos aspectos valóricos ante a identidade e a memória locais.

Neste quadro referencial, o Concurso Público Nacional para a seleção de propostas de melhoria da qualidade de áreas urbanas, pretende estimular uma ação integrada sobre o espaço público e o privado, visando contemplar as diversas áreas setoriais e alcançar o maior entendimento possível do fenômeno urbano de Sumaré, a partir de uma visão sistêmica, onde as questões devem ser equacionadas de maneira global, de modo a subsidiar a produção de soluções que apresentem respostas a problemas de ordem funcional, ambiental, perceptiva, social, entre outras, simultaneamente.

ObjetivosA área de estudo apresenta-se como um grande mosaico de intervenções, ocupações desordenadas e carências que precisam ser solucionadas e costuradas.Neste sentido, a renovação aqui proposta para a área, privilegia a criação de um novo ambiente urbano, de um (re)desenho dos espaços públicos, da articulação de múltiplos usos, preservando a presença habitacional. Destaca-se o seu caráter de nova e original centralidade, de forte conteúdo simbólico e com condições de reprodutibilidade, flexibilidade e sustentabilidade.

Premissas gerais

De que a inserção metropolitana de Sumaré fortalece o desenvolvimento futuro do Sistema de Transportes de Massa para conexões mais rápidas para Campinas e municípios circunvizinhos;

De que a formação de parcerias entre o poder público e a iniciativa privada podem garantir êxito na implantação sócio-urbanística;

De que um projeto desta natureza venha a ser viabilizado em etapas implantação, dada a própria dinâmica urbana;

De que se impõe a economia de meios, pressupondo a manutenção de diversos elementos urbanísticos presentes, principalmente as vias e muitas edificações;

De que a dinâmica das várias linhas de transportes automotivo na área se apresenta como vetores desordenados e conturbados, frente à escala do arcabouço viário;

De que a médio prazo a implantação de operações urbanas, com a transferência de potencial de construção e de uso, possibilite uma nova dinâmica sócio-espacial;

De que a intervenção urbana esteja compatibilizada com a legislação urbanística vigente, incorporando novos parâmetros urbanísticos em acordo com o Estatuto da Cidade;

De que a renovação do espaço abre possibilidades de recomposição das quadras através da inserção de novas arquiteturas;

De que a infra-estrutura e os seus componentes possam se renovar e se articular à nova paisagem pretendida;

De que esteja contemplado no plano o sentido social da intervenção.

Premissas projetuais

Adotou-se os seguintes pressupostos de projeto, sempre através da ótica da reestruturação do espaço:

Tratar a Praça Manoel de Vasconcelos e as Avenidas Rebouças e José Mancini a  como eixos estruturadores da área central de Sumaré e dos seus confrontantes,  garantindo estes espaços para o cidadão e assegurando o caráter de coesão e continuidade;

Dar continuidade ao tecido urbano, realizando as costuras entre os fragmentos existentes  material, visual ou simbolicamente definidos, conectando-os entre si e à cidade;

Recuperar o espaço público, quantitativa e qualitativamente, considerando o desenho do sistema destes espaços como uma das matrizes do projeto;

Caracterizar os novos espaços criados, dando ênfase à questào da segurança, da condição ambiental, paisagística e artística;

Mesclar e adequar usos, com destaque para a renovação e a promoção de novos serviços;

Estabelecer densidades adequadas de moradores e usuários;

O redesenho do traçado viário, propondo soluções para atenuar os problemas de trafego identificados, rearticulando os diversos fragmentos, dando ênfase à requalificação das diferentes vias do entorno, e modelando-as pelo alinhamento das edificações;

Desenho urbanístico das área livres nos espaços confrontantes da área foco da intervenção, adotando em sua concepção e em seu potencial construtivo a justaposição de diversas tipologias arquitetônicas;

Introduzir o conceito de “corredores verdes”, compreendendo não somente as vias e praças, mas os espaços livres e impermeáveis existentes nas quadras, com o propósito de melhoria paisagística e ambiental.

As propostas apresentam-se em três escalas de atuação:

  • o "plano" onde são analisados e apresentadas as estratégias para implantação das propostas, os instrumentos técnicos e normativos para seu controle e gestão. Propõe medidas que cuidem do patrimônio arquitetônico além de simular as interfaces e impactos das propostas urbanísticas com as áreas de entorno imediato.
  • o "desenho da paisagem urbana" que trata do projeto global para a Área Central de Sumaré, em que todas as intervenções se articulam e onde as propostas são apresentadas ao nível do projeto geométrico, com definição de formas, usos e valorizações, de modo a permitir um novo ritmo à percepção espacial desta área e a sua apropriação;
  • o "projeto" que trata do detalhamento de alguns trechos do desenho da paisagem urbana onde são mostradas técnicas e volumetrias sugeridas e a sua exeqüibilidade construtiva, propondo uma linguagem urbana pela inserção planejada de um mobiliário padronizado, mas que leve em consideração e enfatize a identidade dos cenários desta área.

Plano geral das propostas

O Projeto de Renovação Urbana para a Área Central de Sumaré e o seu entorno imediato aqui defendido, tem a preocupação de implantar um desenho urbano definido por etapas de execução, que procure alcançar progressivamente a qualidade ambiental e físico-espacial da área. 

Estrutura de Ocupação da Área e o seu entorno imediato

A proposta de estruturação de ocupação da área central, com reflexos e alcance para o entorno imediato, constitui-se basicamente na aplicação de instrumentos de intervenção urbanística contidos na Lei Federal No. 10.257 de 10.07.2001  Estatuto da Cidade.

Reestruturação viária

A reestruturação viária proposta utiliza-se do conceito da continuidade urbana, objetivando a maior flexibilização do tráfego e circulação de pedestres, em que a renovação do sistema priorize ações mais imediatas na Área Central e a médio e longo prazos a ligação entre “os dois lados” da cidade, com vistas ao favorecimento de conexões mais rápidas com os distritos urbanos e os municípios imediatamente próximos. Essa reestruturação será definida a partir de hierarquizações e padrões das vias; expansão e melhoramentos; otimização do estacionamento de veículos, cruzamentos de fluxos, circulação de pedestres, tráfego de veículos, paradas (ônibus, táxis, “peruas” e veículos de serviços); tratamento paisagístico e de proteção; elementos de padrões urbanísticos apropriados  “Traffic Calming”; sinalização.

Circulação - disciplinar a circulação de veículos, seu estacionamento e limitar o acesso à determinadas áreas, através da utilização de técnicas do "traffic calming", para garantir o direito de ir, vir e estar do pedestre, recuperando o espaço público e proporcionando a melhoria da qualidade ambiental do espaço viário.

Recomposição de quadras

A partir da transformação da Área Central de Sumaré em Área de Especial Interesse Urbanístico, a proposta apresentada tem por objetivo assegurar a renovação gradativa e ordenada dos quarteirões, considerando que a própria dinâmica urbana impõe o surgimento de novas centralidades e, também, a renovação das atividades, visando ações de controle do uso e ocupação do solo, necessárias a preservação da área central como valor histórico, ambiental, paisagístico, social e cultural, garantir-se-ão ações equilibradas entre o gradiente dos quarteirões e a infra-estrutura requalificada.

Arquiteturas

Nesta fase, a definição arquitetônica que se apresenta se constitui como indicativo de volumetrias que sugiram a nova configuração da paisagem, conferindo-lhe identidade, pontuando espaços públicos e de circulação.

As volumetrias sugeridas pressupõem a criação de novos marcos para a cidade de Sumaré ( ex: implantação do futuro Centro Cívico), onde o simbólico esteja contextualizado à sociedade, com uma imagem urbana construída como idéia do coletivo, e que provoque impactos positivos a usuários e transeuntes.

Os novos edifícios a serem construídos, devem adquirir uma concepção formal através de contornos que remetam aos conceitos de clareza, solidez e precisão, permitindo a assimilação e comunicação urbana mais imediata.

Sistema de áreas verdes e paisagismo

Prover a área de intervenção de espaços livres plantados, a fim de permitir que o ambiente seja beneficiado por essas reservas de oxigênio, procurando proporcionar à Área Central, e dela para a cidade, o máximo de locais livres, através da complementação arbórea de todas as vias e do ajardinamento  dos demais espaços públicos.

A configuração pretendida se dará pela introdução de forrações, arbustos, árvores de pequeno, médio e grande portes e espécies de palmeiras, distribuídas articuladamente nas praças e nas vias, além do Parque Linear proposto entre a linha férrea e o Ribeirão dos Quilombos, possibilitando a formação de um  micro-clima ao local.

Mobiliário urbano e sinalização

Dimensionar seus equipamentos para cumprir às suas diversas funções, garantindo a acessibilidade indiscriminada dos usuários e possibilitar a integração ambiental. Priorizar a unificação da linguagem visual e da comunicação com os usuários e visitantes, segundo padrões construtivos internacionais, de fácil manutenção e reposição.

Principais estratégias para a sinalização:

  • estabelecer uma classificação dos tipos de sinalização para facilitar a sua padronização afim de usá-los adequadamente e evitar a poluição visual e à falta de comunicação;
  • criar normas para elaboração, aprovação e implantação destes elementos, tendo em vista o grau de visibilidade desejado.
  • Principais estratégias para o mobiliário:
  • estabelecer  padrões com a criação de variações que permitam enfatizar as características específicas da área;
  • criação que busque inspiração nos valores culturais da cidade;
  • simplificação a partir do padrão estético em consonância com a qualidade do espaço onde o mobiliário está inserido, assim como garantir a sua durabilidade;
  • interferir o mínimo na paisagem e no ambiente;
  • desenvolver propostas alternativas para portadores de deficiência física e visual;
  • promover, através do mobiliário um elo de união entre o poder público, a população e a  iniciativa privada.

Iluminação

Atender aos diferentes elementos construtivos do espaço, de modo a valorizar os seus símbolos, criar novos signos e conferir-lhe novos significados. Os edifícios de valor histórico contarão com uma iluminação a vapor de sódio, com efeito de luz e sombra, como um recurso que propicie a formação de uma atmosfera cenográfica, ressaltando-os como marcos de referência e valorizando os aspectos da identidade e da memória local.

Principais estratégias:

  • diferenciar a iluminação dos veículos da dos pedestres;
  • diferenciar os postes de iluminação de acordo com a hierarquia das vias
  • remover fios e cabos aéreos para galerias subterrâneas, como indicativo a médio e longo prazos;
  • integrar os projetos de sinalização aos de iluminação;
  • usar corretamente a iluminação em vapor de sódio e a iluminação em multivapor metálico.

Acessibilidade

Garantir às pessoas portadoras de deficiência o direito de ir, vir e estar, de utilizar e interagir com o ambiente construído em todos os seus múltiplos aspectos. Adotar parâmetros projetuais que priorizem a circulação, a utilização, a segurança e a funcionalidade, considerando a diversidade de necessidades e características humanas, sem excluir ou segregar quaisquer grupos sociais  deficientes, crianças, idosos, dentre outros.

Utilizar as seguintes técnicas de desenho urbano e estratégias:

  • rampas,
  • suavização de desníveis,
  • regularização adequada da pavimentação,
  • desobstrução e paginação orientadora dos passeios, ruas e áreas de estacionamento,
  • subterraneização das instalações de energia e telefonia,
  • utilização do SIA (Símbolo Internacional de Acesso) como indicador de ambientes públicos e privados acessíveis, sem restrição por tipo de usuário.

Implementação das propostas

Para a implementação a proposta desse trabalho, em sintonia com as políticas públicas, será realizada através das intermediações entre os programas urbanísticos, arquitetônicos, culturais, sociais e econômicos, pelo viés das parcerias entre o público e o privado, em etapas a serem definidas a curto, médio e longo prazos.

A curto prazo, as ações relativas a manutenção e reformas dos diversos elementos urbanísticos presentes na Área Central, como os passeios, canteiros centrais, praças e jardins públicos, de responsabilidade da Prefeitura Municipal, deverão ser concretizadas através de licitação pública com pagamentos com títulos da dívida ativa municipal; fato este que não compromete o orçamento municipal para o próximo exercício, além de tornar-se desnecessária quaisquer alterações no Plano Plurianual e na Lei de diretrizes Orçamentarias.

A médio prazo, em função da transformação da área central em Área Especial de Interesse Urbanístico, o Poder Público Municipal, o Conselho Municipal de Desenvolvimento e Defesa do Patrimônio Sócio-cultural e Ambiental, com a participação da iniciativa privada, implantar-se-á uma Operação Urbana Consorciada visando exclusivamente a modificação do parcelamento do solo, do potencial construtivo e da alteração do uso das edificações, no conjunto de quadras ao lado da atual subestação (proposta de implantação  do CIC - Centro Integrado de Cidadania). Os recursos obtidos pelo Poder Público serão aplicados exclusivamente na passagem subterrânea da Avenida José Mancini sob a linha férrea.

A longo prazo a proposta geral prevê a implantação da Estação Ferroviária (e também metroviária) em parceria com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos  Região Metropolitana de Campinas. Destaca-se  aqui, que o prédio da antiga estação deva ser restaurado para abrigar o Centro da Memória da Rede Ferroviária.

Estabelecidas as relações particulares de suas responsabilidades, o resultado esperado é o da construção de uma sociedade organizada e conectada às infovias presentes no mundo contemporâneo. Nesse processo, considera-se a participação e o comprometimento da população nas definições da intervenção urbanística e de renovação da Área Central de Sumaré, em que as objetividades e subjetividades contribuirão para o entendimento dos espaços constituídos por totalidades, particularidades e singularidades.

ficha técnica

Equipe
Arquitetos João Francisco Chavedar, Fabíola de Almeida, Samantha Tomiyama , Cláudio Faria Rodrigues
Estudante de Arquitetura
Fernanda Lemes de Santana.

source
Escritório responsável
São Paulo SP Brasil

comments

023.02 Concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source
IAB-SP
São Paulo SP Brasil

share

023

023.01 Concurso

Concurso de Anteprojeto Arquitetônico da ESA

newspaper


© 2000–2014 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided