Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

newspaper

news

Marco do Valle ao lado da escultura “Eixo paralelo ao da rotação da terra”, Unicamp
Foto divulgação [Website Unicamp]

Nascido em Taquaritinga, em 1954, Marco do Valle, arquiteto, artista plástico e professor da Unicamp, faleceu nessa madrugada na cidade de Campinas. O corpo será velado a partir das 12h no Velório Municipal de Leme, interior do Estado de São Paulo. O sepultamento acontecerá às 17h.

Valle iniciou seu aprendizado artístico em 1975, como assistente de Nicolas Vlavianos. Em 1978 ingressou na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, formando-se em 1982. Durante o curso de graduação, se ligou intelectualmente ao arquiteto Antonio Costa Santos (1952-2001), professor de arquitetura, militante social e futuro prefeito de Campinas, de quem foi assessor durante a gestão. Mestre pela pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA USP em 1991 com o trabalho Processos de Apagamento em Escultura Moderna e Contemporânea, orientado por Virgilio Benjamin Noya Pinto. Em 2000 defende o doutorado Forma e procedimentos de projeto na arquitetura de Oscar Niemeyer (1935-1998), orientado por Sylvio Sawaya, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.

Em 1980, Marco do Valle ingressa na Unicamp a convite do professor Bernardo Caro e foi um dos fundadores, ao lado de Fúlvia Gonçalves e Berenice Toledo, do curso de Artes no Instituto de Artes da universidade, onde foi responsável ao longo das décadas pelo curso de Escultura Contemporânea. Foi professor de Desenho para os alunos de arquitetura desde a fundação do curso na instituição, além de ter participado do programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH.

Foi um dos representantes brasileiros na 20ª Bienal Internacional de São Paulo em 1989, momento que consagrou uma carreira que teve como primeira individual a exposição “Três pontos não colineares determinam um plano”, ocorrida no Museu de Arte Contemporânea de Campinas, em 1977. A seguir ganhou o prêmio Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais no Salão Nacional de Belo Horizonte e passou a ter sua obra no acervo do Museu de Arte da Pampulha de Belo Horizonte. Em 1982, participou de exposição coletiva no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, ao lado de Marcelo Nitsche e Márcia Rothstein.

Além de escultura pública “Eixo paralelo ao da rotação da terra”, de 1987 e instalada no Campus da Unicamp, Marco do Valle tem esculturas no Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Falece Marco do Valle (Taquaritinga, 1954 – Campinas, 2018)

source
Portal Vitruvius
São Paulo SP Brasil

share


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided