Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

architectourism ISSN 1982-9930

Estação Ferroviária de Strassbourg. Foto Victor Hugo Mori

abstracts

português
Análise urbanística feita durante breve passagem pela capital dos Emirados Árabes Unidos.


how to quote

PIEROZZI TAKATORI, Gustavo. Abu Dhabi. Uma breve percepção. Arquiteturismo, São Paulo, ano 09, n. 097.04, Vitruvius, abr. 2015 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquiteturismo/09.097/5556>.


A capital dos Emirados Árabes Unidos entrou na minha lista de cidades visitadas mais por ocasião do que por intenção. Depois de pouco mais de um ano morando na Austrália graças a um intercâmbio na University of New South Wales, chegou a hora de retornar ao Brasil. Como não existe vôo direto para esse trajeto, eu já vinha planejando fazer uma parada na cidade de conexão entre os dois segmentos, independente do lugar. As opções mais populares são Chile, África do Sul e Emirados Árabes Unidos. O valor da passagem e o conforto da companhia aérea foram os motivos decisivos para a escolha. A intenção se manifestou pelos pagamentos do visto de trânsito e da taxa extra para ter direito ao stopover.

Como sou um grande fã da arquitetura e culinária árabe, essa foi uma boa oportunidade para conhecer uma cidade que não constava na minha lista de lugares a serem visitados. Meu avião pousou em Abu Dhabi por volta da meia-noite do dia 16 de fevereiro de 2014, depois de um vôo tranqüilo, mas com quase 14 horas de duração. Como me hospedei ao lado do aeroporto, não vi nada da cidade até a manhã seguinte.

Sheikh Zayed Grand Mosque, vista externa
Foto Gustavo Takatori

Sheikh Zayed Grand Mosque, pátio interno
Foto Gustavo Takatori

Sheikh Zayed Grand Mosque, pátio interno
Foto Gustavo Takatori

O hotel oferecia transporte para três pontos turísticos da cidade: a Grande Mesquita Sheikh Zayed, o centro de compras Marina Mall e o parque temático da Ferrari. Optei pela mesquita por gostar de arquitetura religiosa e pela grandiosidade do projeto (o maior do país e entre os maiores do mundo). A imponência e detalhamento dos acabamentos é algo impressionante. O primeiro destaque vai para o piso do grande pátio interno, com aproximadamente 120 metros de largura por 100 metros de profundidade, com tema floral incrustado em uma larga faixa perimetral. O salão principal possui uma infinidade de detalhes em todas as superfícies e objetos, desde a tapeçaria do piso aos detalhes das paredes como os gigantescos lustres e forros ornamentados. Depois de pouco mais de uma hora conhecendo o templo, tomei um táxi com destino ao centro da cidade.

No trajeto entre a mesquita e o centro foi possível observar como Abu Dhabi é dependente do uso do automóvel. Grandes vias expressas e a pequena presença de opções de transporte coletivo são destaque na cidade e talvez um reflexo direto da abundância do petróleo na economia nacional.

Sheikh Zayed Grand Mosque, salão principal
Foto Gustavo Takatori

Sheikh Zayed Grand Mosque, detalhe interno
Foto Gustavo Takatori

Chegando na praia de Corniche desci e continuei o trajeto a pé. Na avenida da praia se concentram os arranha-céus ultramodernos e uma bela mas subutilizada orla. Foi durante essa caminhada que comecei a notar a ausência de pedestres nas ruas. Até então, como estava transitando por áreas mais afastadas, não havia reparado ou considerado tal cenário. Contudo, em uma das áreas supostamente mais propícias ao lazer da cidade, a baixa presença de moradores ou mesmo turistas começava a ficar assustadora. Como era inverno, as temperaturas não serviam como justificativa.

Entrei em um dos poucos ônibus que vi depois de alguns quilômetros e me dirigi até o Marina Mall para almoçar. Após o almoço, fui até o Heritage Village, um centro que busca mostrar aos visitantes as tradições culturais do povo dos Emirados. Moradias, oficinas e ofícios foram recriados para propagar ao menos a história da cultura da população antiga.

Sheikh Zayed Grand Mosque, lateral externa
Foto Gustavo Takatori

Sheikh Zayed Grand Mosque, detalhe piso do pátio interno
Foto Gustavo Takatori

Ao final da tarde, como estava próximo, decidi ir até a famosa Masdar City. Para quem nunca ouviu falar dela, é uma cidade sustentável planejada nos subúrbios de Abu Dhabi com a grife Foster + Partners. A cidade ainda está em sua fase inicial e conta com alguns poucos edifícios concluídos. O Instituto de Ciência e Tecnologia de Masdar é um dos principais locatários do projeto. O que mais aguçou minha curiosidade sobre a cidade e me motivou ir até lá foi a possibilidade de experimentar o sistema de transporte autônomo PRT (sigla em inglês para algo que poderia ser traduzido como: locomoção rápida pessoal). Infelizmente, o projeto morreu em sua fase piloto devido aos altos custos para a ampliação da rede.

Uma grande chaminé implantada no interior de uma das praças com a função de canalizar brisa para o pátio e assim produzir um microclima diferenciado também é um destaque do projeto. A estrutura toda automatizada abre e fecha aletas para otimizar a captação do vento externo conforme sua direção. Como estava próximo do meu hotel, coisa de dois ou três quilômetros, decidi voltar andando. Foi nesse trajeto que percebi ainda mais como a cidade não foi pensada para o pedestre. Apesar das vias largas e com recuos laterais e centrais generosos, belos jardins e fontes ornamentais, inexiste uma oferta adequada de passeios ao longo das ruas e avenidas.

Praia de Corniche
Foto Gustavo Takatori

Praia de Corniche vista a partir do Heritage Village
Foto Gustavo Takatori

Heritage Village
Foto Gustavo Takatori

No segundo dia decidi ir até o parque temático da Ferrari. Chegando lá, como a principal atração estava em manutenção decidi voltar para o meu hotel novamente andando. Dessa vez eu estava a uns dez quilômetros de distância e sabia mais ou menos o tipo de paisagem que encontraria ao longo da caminhada. É impressionante como não se vê muitas pessoas nas ruas a não ser os trabalhadores de obras. Parece exagero, mas ao longo deste trajeto não encontrei nem quinze pessoas. Abu Dhabi se mostrou inóspita para pedestres mesmo em suas áreas mais turísticas, uma triste constatação para uma cidade que procura se destacar na comunidade global e ser sinônimo de contemporaneidade.

Vista urbana com parque temático da Ferrari ao fundo
Foto Gustavo Takatori

Vista panorâmica do subúrbio de Abu Dhabi
Foto Gustavo Takatori

sobre o autor

Gustavo Pierozzi Takatori é estudante de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP e fotógrafo profissional especializado em arquitetura e interiores desde 2007. Estudou na Universidade Técnica de Lisboa em 2012 e na University of New South Wales em 2013. Atualmente desenvolve o trabalho final de graduação com o projeto de adaptação da ocupação Prestes Maia em HIS.

comments

097.04 paisagem construída
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

097

097.01 arquiteturismo em questão

Urbanidade e evidência conceitual

Maria Beatriz de Castro

097.02 viagem cultural

Dublin, patrimônio imaterial

Érico Masiero

097.03 viagem de estudo

Nostalgia de Salmona em Bogotá

Mauro Ferreira

097.05 filme de viagens

Quimpassi

Abilio Guerra

097.06 ensaio fotográfico

A Praça da Catedral e a Praça Gutenberg em Strassbourg

Victor Hugo Mori

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided