Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

architexts ISSN 1809-6298


abstracts

português
Eiete Araujo escreve sobre o estudo do uso do biogás – resultante da fermentação por decomposição anaeróbica da matéria orgânica – como fonte alternativa de energia, barata, eficiente e com menos impacto ao meio ambiente


how to quote

DE PINHO ARAUJO, Eliete. Cartilha de Energia de Biomassa. Arquitextos, São Paulo, ano 07, n. 073.07, Vitruvius, jun. 2006 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/07.073/349>.

Introdução

Esta matéria se dedica aos diversos tipos de produção de energia, com o objetivo de mostrar que é importante investir em pesquisas para se conseguir energia cada vez mais barata, eficiente e com menos impacto ao meio ambiente.

Esta cartilha se dedica ao estudo da Energia de Biomassa como fonte alternativa de energia barata e ecologicamente viável.

1. Histórico do Biogás

A formação da biomassa tem origem com os povos agrícolas hindus, chineses e japoneses.

Pela necessidade de limpar os solos das fazendas os agricultores faziam valas para depositar resto de frutas, dejetos humanos e de animais, água suja, etc.

Essas valas, após a decomposição anaeróbica da matéria orgânica armazenada, transformavam-se em verdadeiros pântanos, que liberavam gases oriundos dessa decomposição .

Por esse processo observou-se que a parte sólida, chorume, poderia ser utilizado como fertilizante natural como solução para a agricultura e a parte gasosa, resultante da fermentação por decomposição anaeróbica da matéria orgânica poderia ser utilizada como fonte de energia.

A partir do domínio do processo o biodigestor foi criado para facilitar e acelerar a fermentação da matéria orgânica e o Biogás, resultante dessa fermentação passou a ser considerado uma grande fonte de energia alternativa e não apenas um subproduto do processo, o que favorece imensamente a não utilização de recursos naturais esgotáveis.

2. O que é o Biogás

Mistura gasosa, combustível resultante da fermentação anaeróbica da matéria orgânica dentro de limites de temperatura, umidade e acidez, essencialmente constituída por metano (CH4) e dióxido de carbono (CO2).

3. Como se forma o Biogás

Fermentação anaeróbica produzida por algumas espécies de bactérias que produzem compostos simples como metano, dióxido de carbono e água.

Por meio de uma cadeia de degradação promove a transformação da matéria orgânica em compostos químicos-orgânicos simples.

4. Fatores que influenciam a produção do Biogás

1. Impermeabilidade do ar;2. Temperatura;3. Teor de água4. Nutrientes.

5. Características e curiosidades sobre o Biogás

1. Gás incolor e inodoro (se livre de impurezas) e insolúvel em água;2. É mais leve que o ar de baixa densidade;3. O poder calorífico é de aproximadamente 6 kwh/m3;4. Produzido pela degradação de resíduos orgânicos;5. Fonte de energia renovável e inesgotável.

6. Biodigestor

É um grande recipiente fechado dentro do qual os microorganismos se encarregam de provocar a decomposição anaeróbica dos restos de matéria orgânica.

Funciona com mistura de água, esterco animal e fibras vegetais como capim, cascas etc.

Suas principais funções são garantir um meio anaeróbico (sem oxigênio), favorável a biodigestão e, permitir a alimentação sistemática da matéria orgânica e armazenar o gás produzido.

Existem dois tipos de sistema de biodigestores: contínuo e descontínuo.

A escolha do sistema depende das características do substrato, das necessidades de depuração, da disponibilidade de mão-de-obra e de condições de ordem econômica (Figura 1).

7. Localização do Biodigestor

O local escolhido para implantação do biodigestor deve ser bastante arejado, tanto por motivo segurança, como para evitar odores.

Deve ser evitada a incidência direta da luz do sol.

Em lugares muito frios deve ser providenciado uma cobertura para a câmara de fermentação.

Também pode ser colocado sob o solo onde não existem variações de temperatura.

8. Biodigestor em Sistema Contínuo

A matéria orgânica é introduzida na câmara de fermentação, com uma determinada taxa de diluição

Fornecimento contínuo de substrato.

A produção de Biogás é uniforme no tempo e a quantidade produzida é em função do tipo de matéria orgânica utilizada (Figura 2).

9. Biodigestor em Sistema Descontínuo

O funcionamento do sistema descontínuo não é regular. A câmara de fermentação é totalmente carregada periodicamente. Neste a temperatura é um fator menos crítico (Figura 3).

10. Exemplo de Sistema Descontínuo

Há duas partes distintas: câmara de fermentação e gasômetro

Câmara de Fermentação: comporta a mistura do material orgânico com água, formando um meio anaeróbico, onde as bactérias metanogânicas atuarão, resultando na produção do biogás

Peças da câmara de fermentação:

Agitador: evita que o CO², produzido na biodigestão, forme bolhas estacionárias no afluente e dificulta a ação das bactérias metanogânicas, diminuindo a velocidade do processo.

Coroa: estreitamento da câmara na altura média que evita a perda do biogás pela folga entre as paredes externas do gasômetro e as paredes internas da câmara.

Tela de retenção de sólidos: tem a função de manter estes sólidos abaixo da altura da coroa, ao alcance do agitador.

Dreno para descarga: permitir a descarga do material orgânico.

Gasômetro: tem função de captar e armazenar o gás, permitindo ainda uma pressão de saída constante. Peça agregada é a torneira para controlar a saída do gás (Figura 4).

11. Vantagens do Biogás

Resíduos
Processo natural de se tratar resíduos orgânicos.O volume do resíduo a ser descartado é sempre menor.O espaço necessário é menor do que para aterros e compostagem.

Energia
Fonte de energia renovável.Produz um combustível de boa qualidade e que não polui o meio ambiente.

Meio Ambiente
Grande aproveitamento de matéria orgânica.Produz biofertilizante.Reduz a quantidade de emissão de carbono e metano.

Economia
O processo resulta em grande economia a longo prazo.

Uso Residencial
Substitui o gás de cozinha.Não é necessário purificá-lo.Os equipamentos revelam excelente desempenho.

12. Utilização do Biogás

Um dos principais usos do biogás é a geração de energia a partir de dejetos de esgotos e de gás natural. Além disso o biogás substitui muito eficientemente os derivados de petróleo.

bibliografia

http://www.windpower.dk

http://www.geocities.com/CapeCanaveral/Launchpad/7075/eolic_cant.html

http://www.nrel.gov/wind/index.html

http://www.appa.es

http://www.made.es

Revista Registro de Gaveta. Vol. Professora Eliete de Pinho Araujo e alunos do Curso de Arquitetura. FAET, UniCEUB, 1

Revista Energia. Vol. Professora Eliete de Pinho Araujo e alunos do Curso de Arquitetura. FAU/UNB, 1

sobre o autor

Eliete de Pinho Araujo é arquiteta e professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Ciências Exatas e de Tecnologia – FAET, Centro Universitário de Brasília – CEUB.

comments

073.07
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

073

073.00

Istambul, Turquia e seus paradoxos

Flávio Coddou

073.01

Metrópole 2025

Estrutura territorial da Cidade do México

Roberto Eibenschutz H.

073.02

Arquitet(ur)a em essência

Fredy Massad and Alicia Guerrero Yeste

073.03 história

Clave de Sol

Notas sobre a história do conforto ambiental

Hugo Segawa

073.04

A escola carioca e a arquitetura moderna em Porto Alegre

Luís Henrique Haas Luccas

073.05

Cronotopia – Casa Isobe, um primeiro ensaio

Fábio Duarte and Ricardo Diniz

073.06

A Universidade incondicional

Fernando Freitas Fuão

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided