Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Silvia Sasaoka a respeito do projeto Straat bambu, é resultado do encontro entre forças e talentos de campos diversos: a empresa TokStok, parceira e patrocinadora + Takeshi Sumi e Dries van Wagenberg, designers + Kotybambu, artesãos produtores

english
Silvia Sasaoka about the project Straat bamboo, it is a result of collaboration of forces and talents of various fields: enterprise TokStok, partner and sponsor + Takeshi Sumi and Dries van Wagenberg, + Kotybambu designers, artisans producers

español
Silvia Sasaoka al respecto del proyecto Straat bambu, es resultado del encuentro entre fuerzas y talentos de campos diversos: la empresa TokStok, asociada y patrocinadora + Takeshi Sumi y Dries van Wagenberg, diseñadores + Kotybambu, artesanos productores

how to quote

SASAOKA, Silvia. Straat bambu. O projeto de intercâmbio São Paulo / Eindhoven 2006–2008. Drops, São Paulo, ano 09, n. 027.08, Vitruvius, jun. 2009 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/09.027/1798>.


Mostra straatbambu no MCB, março de 2007. Espaço “pesquisa de técnicas e materiais"
Foto Nou Kazama


O projeto

O projeto straat bambu  é resultado do encontro bem articulado entre forças e talentos de campos diversos: a empresa TokStok, parceira e patrocinadora + Takeshi Sumi e Dries van Wagenberg, designers + Kotybambu, artesãos produtores. Especialmente proposto para a TokStok, este projeto teve como objetivo o desenvolvimento de produtos feitos em bambu com um design inovador, que aproveitasse as características e revelasse a beleza deste material, tão farto quanto subutilizado no país. Toda inovação pressupõe um processo em que participam o engenho e a arte (ou a técnica e a criatividade) e cujo resultado não é apenas o produto material, mas também, o conhecimento trocado. Com a meta de desenvolver produtos inovadores através da troca de conhecimento, a Straat pesquisou e reuniu quem teria a expertise necessária para isso, traduzindo as diferentes linguagens de cada parte, em uma linguagem comum. A escolha por estudantes de design reflete duas prioridades da Straat: o foco na formação de designers e na criação de um design ousado, experimental. E a escolha por estudantes de países diferentes, Holanda e Brasil, prioriza os processos colaborativos, em que ocorre a troca e a convivência entre diferentes formas de criação, de cultura.

As forças

A TokStok surgiu como parceira natural devido a uma aproximação iniciada em 2001, mas principalmente, por ser uma empresa que é referência no desenvolvimento do design no Brasil. As outras forças são o designer Dries van Wagenberg vindo da  Design Academy Eindhoven / Holanda, onde o projeto foi anunciado, escola que tem como característica a ênfase na função social do design. Takeshi Sumi estudante de Design na FAU/USP e que tem uma certa familiaridade com o bambu. E a Kotybambu,  oficina de artesanato em bambu fundada e comandada pelo engenheiro Eduardo Nagayama, que divide o trabalho com Raimundo. A  Kotybambu foi escolhida por sua estrutura ser um potencial laboratório de criação de objetos e por manifestar a intenção de promover oportunidades de geração de renda para pessoas do bairro.

O bambu

O bambu é uma matéria prima presente em quase todo o mundo, muito utilizada em países da Ásia e América Latina mas mal aproveitada no Brasil. Os produtos existentes no mercado brasileiro são feitos com o bambu sem desdobro, negligenciando o fato de que, por seu baixo custo, é uma alternativa para substituir a madeira.  A China por exemplo, empregando alta tecnologia, desenvolve uma variedade enorme de produtos feitos com bambu tais como pisos, portas, janelas e outros. Na arquitetura asiática temos remanescentes de construções muito antigas em bambu em templos japoneses, chineses e indianos. O Taj Mahal teve a estrutura de sua abobada milenar de bambu substituída apenas recentemente por uma de metal.  Na China, encontram-se construções espetaculares de pontes em grandes vãos, com bambu tensionado. Na África também se encontram muitas habitações populares construídas com bambu.

O bambu é uma planta que oferece muitas vantagens econômicas: rápido crescimento, manutenção e colheita; sem mencionar a sua resistência, sendo a primeira vegetação a surgir após a explosão atômica em Hiroshima. Tudo isto faz do bambu um material ecologicamente interessante, que ajuda na renovação do ar e substitui a madeira em diversos aspectos. A proposta da Straat para os estudantes envolvidos foi que realizassem uma pesquisa de técnicas construtivas, que estimulasse a potencialidade criativa de futuros profissionais, explorando formas e usos do bambu. O resultado deste processo de trabalho é o cabide que recebeu os prêmios: Prêmio Objeto Brasileiro - A Casa, setembro de 2008 e o 1º lugar Prêmio Utensílio - Museu da Casa Brasileira, novembro 2008.

Cronologia

Proposta para TokStok
Julho de 2006   

Articulação de estudantes
De agosto a novembro de 2006

Articulação e preparação para a chegada dos estudantes na oficina Kotybambu
Novembro e dezembro de 2006

Inicio do projeto
J janeiro de 2007

Oficina
Janeiro/fevereiro 2007

Exposição e mesa redonda no Museu da Casa Brasileira
Março de 2007

 Venda dos primeiros cabides
Paralela Gift Fair março 2007

Prêmio Objeto Brasileiro - A Casa
Setembro de 2008

Prêmio 1o.lugar Utensílio - Museu da Casa Brasileira
Novembro 2008

Ficha técnica

Concepção e articulação
Silvia Sasaoka
 Patrocínio
Tok&Stok

Coordenação
Anton van Dort e Silvia Sasaoka

 Estudantes que desenvolveram o produto
Takeshi Sumi (2º ano de Design / FAU USP) e Dries Van Wagenberg (recém formado pela Design Academy Eindhoven / Holanda)

 Artesãos
Oficina Kotybambu -  Eduardo Nagayama e Raimundo Alves dos Santos

Criação do projeto gráfico e exposição no MCB
Estúdio 19 - Marcelo Lee e Henrique Reis

Apoio
Museu da Casa Brasileira

sobre o autor

Silvia Sasaoka, criadora da StraaT, é graduada em Artes Plásticas e atua como arte educadora, produtora cultural e empresária.Silvia Sasaoka, São Paulo Brasil

Mostra straatbambu no MCB, março de 2007. Objetos desenvolvidos por Dries Wagenberg, Takeshi Sumi e Eduardo Nagayama durante o projeto
Foto Nou Kazama

Mostra straatbambu no MCB, março de 2007. Objetos desenvolvidos por Dries Wagenberg, Takeshi Sumi e Eduardo Nagayama no período de 6 semanas
Foto Nou Kazama

Mostra straatbambu no MCB, março de 2007. Espaço “pesquisa de técnicas e materiais”
Foto Nou Kazama

Mostra straatbambu no MCB, março de 2007. “Cabide bambu” por Takeshi Sumi
Foto Nou Kazama

Mesa redonda no MCB, março de 2007 sobre o projeto straatbambu
Foto Nio Tatewaki

Mesa redonda no MCB, março de 2007 sobre o projeto straatbambu. Anton van Dort, Dries Wagenberg, Takeshi Sumi, Eduardo Nagayama, Roberta Cosulich, Silvia Sasaoka, Ademir Bueno
Foto Nio Tatewaki

Ferramentas da Oficina Kotybambu
Foto Annet Haak

Mesa com tampo de vidro Por Takeshi Sumi
Foto Nio Tatewaki

Mesa Dries, por Dries Wagenberg
Foto Nio Tatewaki

Mesa coluna por Dries Wagenberg
Foto Nio Tatewaki

Eduardo Nagayama , Takeshi Sumi e Dries Wagenberg
Foto Marcelo Lee

Dries Wagenberg
Foto Marcelo Lee

Takeshi Sumi
Foto Marcelo Lee

Dries Wagenberg, Eduardo Nagayama e Takeshi Sumi
Foto Nio Tatewaki

 

comments

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided