Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
A exposição “Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil”, conta a história dos designers que, à frente das lojas Móveis Artesanal e Forma, seriam responsáveis pelo desenho de clássicos do design moderno brasileiro.

english
abstract The exhibition “Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil” tells the story of the designers who, in front of the Móveis Artesanal and Forma stores, would be responsible for the design of classics of modern Brazilian design.

español
La exposición "Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil" cuenta la historia de los diseñadores que, frente a las tiendas Móveis Artesanal y Forma, serían responsables del diseño de los clásicos del diseño brasileño moderno.

how to quote

MILAGRE, Isabela. Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil. Exposição de design no Museu Belas Artes de São Paulo – MuBA. Drops, São Paulo, ano 20, n. 143.04, Vitruvius, ago. 2019 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.143/7452>.



No meio do século 20, o Brasil passou por profundas mudanças econômicas e sociais que resultaram no crescimento e verticalização de seus centros urbanos.

Contingentes de imigrantes, muitos dos quais vieram ao país depois da Segunda Guerra Mundial para começar uma nova vida, dirigiam-se a essas cidades, e um otimismo pairava no ar. Na arquitetura e no design, o desenvolvimento de uma linguagem moderna e de uma indústria apta a produzir novos materiais dava ferramentas para responder aos desafios de mobiliar um novo tipo de moradia e atender a um estilo de vida cosmopolita.

Foi nesse cenário que se inseriu Carlo Hauner (1927-96), italiano que chegou a São Paulo em 1948 e em 1950 fundou a empresa Móveis Artesanal para produzir móveis modernos. Hauner foi o principal designer na empresa até a entrada do também imigrante Martin Eisler (1913-77), arquiteto austríaco que veio ao Brasil pela Argentina, em 1953. Os dois seriam responsáveis pelo desenho de peças que se tornaram clássicos do design moderno brasileiro e por gerir uma loja que se estabeleceu como referência de sofisticação à época.

A Artesanal foi ainda incubadora de muitos designers de peso no Brasil, tendo tido funcionários do escalão de Ernesto e Georgia Hauner e Sergio Rodrigues. Embora bem-sucedida, contudo, a empresa teve vida curta: em 1955 reestruturou-se como Forma e Carlo Hauner desligou-se da sociedade.

Esta é a maior exposição já feita no Brasil sobre o trabalho destes dois ilustres designers durante o período em que estiveram à frente da Móveis Artesanal e Forma. Importantes peças estão aqui reunidas num mesmo espaço pela primeira vez desde os anos 1950, retratando o que foi este momento e quais caminhos se abriram a partir dos encontros proporcionados pela empresa.

nota

NE – Texto curatorial da exposição “Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil”, curadoria de Isabela Milagre, participação de Mina Warchavchik Hugert, com 15 peças autênticas dos designers. Museu Belas Artes de São Paulo – MuBA, rua Dr. Álvaro Alvim 76, 23 de agosto a 14 de setembro de 2019.

sobre a autora

Isabela Milagre é curadora da exposição.

Cartazes da exposição “Carlo Hauner, Martin Eisler e a modernização do móvel no Brasil”, curadoria de Isabela Milagre
Imagem divulgação

 

comments

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided