Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

português
Ethel Leon comenta a presença do design nórdico e seu significado simbólico na série dinamarquesa Borgen, realizada para TV.

how to quote

LEON, Ethel. Borgen. O simbolismo político do design dinamarquês. Drops, São Paulo, ano 20, n. 157.03, Vitruvius, out. 2020 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/20.157/7903>.



Silvana Rubino me perguntou o que eu achava dos cenários de residências da série dinamarquesa Borgen (1), que desandei a ver. Na verdade, percebi poucas coisas – a onipresença das luminárias Louis Poulsen, as cadeiras série 7 do Jacobsen no escritório do novo partido.

A casa familiar (a primeira) de Birgitte & família parece ter compromisso entre passado e presente. Móveis de madeira, como se herdados dos pais. Depois, as mudanças, o apartamento com vista para o canal com móveis muito mais marcantes, inclusive aquele sofá vermelho e uma modernidade um tanto yuppie, que correspondia à vida de executiva da protagonista. Mais tarde, o apartamento menor e mais tradicional, quando ela volta a ser política. E que traz aquele compromisso com certa durabilidade, promessa da social-democracia daquelas bandas.

Mas o que me chamou mais atenção foi o mobiliário da Magis na sala do novo diretor da emissora de TV. Recostado sobre a cadeira Voido do Ron Arad, o executivo arrogante quer colocar o jornalista de meia idade na linha, na sua linha. E o pobre só encontra pra se sentar a Spun, aquele banco pião delicioso pra quem está a fim de brincar. Ele cria uma instabilidade amedrontadora e não foi feito para posições estáveis.

Pensei em como esses móveis plásticos foram criados na sequência da atenção que os designers modernos italianos desenvolveram para o mobiliário infantil: é só lembrar das cadeiras empilháveis e Vico Magistretti e de Joe Colombo. Plásticas, coloridíssimas, foram se tornando o paradigma da produção pós-moderna que deu para infantilizar o público adulto.

Essas salas de “executivos criativos”, todos de olho nos likes das audiências, são criadas com o discurso de promover a flexibilidade, tão de acordo com o caráter 'flexível' do capitalismo contemporâneo. Sob esse ar de informalidade estaria uma promessa de não hierarquia, de respeito às individualidades etc.

Mas vemos acontecer o contrário. E o mobiliário é uma peça a mais de humilhação do maduro chefe de redação.

nota

1
Borgen, série de TV, criação de Adam Price, Dinamarca, 2010-2013.

sobre a autora

Ethel Leon é jornalista, pesquisadora, professora na área de história do design brasileiro e autora dos livros Memórias do design brasileiro, IAC – Primeira Escola de Design do Brasil, Michel Arnoult, design e utopia – móveis em série para todos e Design brasileiro – quem fez, quem faz.

 

comments

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided