Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

drops ISSN 2175-6716

abstracts

how to quote

MARTINS, Carlos A. Ferreira. Black Lives Matter! E vidas negras, importam? Drops, São Paulo, ano 21, n. 158.04, Vitruvius, nov. 2020 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/drops/21.158/7942>.



O mundo inteiro ficou sabendo o nome de George Floyd, o afro-americano asfixiado até a morte por policiais brancos em Minneapolis, Estados Unidos, em 25 de maio deste ano.

Sua morte se transformou num símbolo do racismo sistêmico na “maior democracia do planeta”, motivou protestos mundo afora e foi um dos fatores que contribuíram para a derrota de Trump nas eleições presidenciais.

Durante semanas, manifestantes – e até policiais – se ajoelharam em protesto. 8 minutos e 46 segundos, o tempo que Floyd permaneceu asfixiado, se transformou num código. O grande espetáculo esportivo midiático da NBA foi interrompido por uma greve dos jogadores e depois retomado com todos os times carregando em seus uniformes mensagens contra o racismo e a supressão de voto.

George Floyd se tornou um símbolo poderoso com razão. Pela estupidez de sua morte e pelo repudio e reação que ela provocou.

Entre nós, ao contrário, a matança sistêmica de pretos e pobres desaparece rapidamente do noticiário. Pouco são lembrados hoje os nomes de Evaldo dos Santos Rosa, João Pedro Mattos ou Ítalo Augusto Amorim.

João Alberto Siqueira Freitas, o NegoBeto, será o próximo nome a ser esquecido? Na véspera do Dia da Consciência Negra, foi espancado até a morte por dois seguranças de um supermercado Carrefour de Porto Alegre, enquanto uma funcionária do estabelecimento registrava tranquilamente o assassinato em seu celular e tentava impedir a filmagem por testemunhas.

A rede multinacional, que tem entre seus grandes acionistas Abílio Diniz, um dos 10 homens mais ricos do país, comunica que rescindiu o contrato com a empresa terceirizada de segurança e que espera que os culpados sejam punidos.

Mas não informa o que aconteceu com os funcionários responsáveis por manter o corpo do promotor de vendas Moisés Santos, de 53 anos, escondido por guarda-sóis durante quatro horas para que a rede pudesse seguir com as vendas.

Um movimento de boicote ao Carrefour se ensaia e é difícil imaginar se terá efeito mais duradouro do que os outros ensaios semelhantes.

Racismo não é “só” preconceito. É também excludente de ilicitude num país que manteve por tempo demais a ficção da cordialidade como seu traço distintivo.

O general na vice-presidência afirma que o racismo é coisa importada. Mas não explica por que, no Brasil, para cada branco vítima de homicídio há quase três pretos, pardos ou índios mortos. Seu assassinato em massa remonta a nossa história, mas o negacionismo no poder só faz aumentá-lo.

Nosso desafio não é apenas resgatar injustiças históricas, mas buscar formas para deter seu assustador aumento no presente.

sobre o autor

Carlos Alberto Ferreira Martins é professor titular do IAU USP São Carlos, é branco e, por isso, tem três vezes mais chance de continuar vivo.

 

comments

158.04 racismo
abstracts
how to quote

languages

original: português

share

158

158.01 política

Mad World

Motivos para se interessar pela eleição presidencial norte-americana

Carlos A. Ferreira Martins

158.02 eleições

Pelo voto em Boulos e Benedita no primeiro turno

Unir forças em São Paulo e no Rio de Janeiro

Grupo de apoio às candidaturas Boulos/Benedita

158.03 homenagem

Flores brancas de ipê para Segismundo Bruno

Celso Aparecido Sampaio

158.05 ensino

Arquitetura versus carga horária

O reflexo do excesso de horas do curso de arquitetura e urbanismo

Clara Macerou Ypiranga, Mariana Afonso Rosa and Sofia Machado Gasques

158.06 homenagem

O porão e a rua: uma escola sem sala de aula

Em memória de Júlio Abe Wakahara

Hugo Segawa

158.07 sociedade

Queremos uma sociedade educada e civilizada

Jorge Coli

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided