Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

interview ISSN 2175-6708

abstracts

português
Nessa conversa sobre fabricação digital e formas complexas, Pieter Schreurs fala sobre o seu processo de projeto e o processo de manufatura da arquitetura contemporânea.

english
In this conversation about digital fabrication and complex shapes, Pieter Schreurs talks about their design process and manufacturing process of contemporary architecture.

how to quote

SEDREZ, Maycon. Um edifício, um detalhe. Entrevista com o arquiteto Pieter Schreurs, ONL. Entrevista, São Paulo, ano 16, n. 064.04, Vitruvius, nov. 2015 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/entrevista/16.064/5821>.


Parede de escalada ONL [ONL]

MS: Vocês já usaram tecnologia de impressão 3D para um edifício?

PS: Não. É difícil. Tem um grande salto do corrente estado da impressão e manufatura aditiva para se ter a produção de elementos de alto nível de qualidade. Você pode ter uma impressora 3D, você pode ter na sua casa, mas a questão é: que tipo de produto você pode fazer com ela? É muito limitado no momento, pois a tecnologia não é tão avançada para fazer produtos de alto acabamento. Isso é uma das questões principais e também a transferência disso para o processo construtivo e para estruturas de construção de verdade; pois basicamente é muito difícil obter resistência suficiente e obter um bom acabamento. Nós estamos experimentando em diferentes níveis com isso, mas é muito difícil chegar a um nível que seja praticável. Também, se você comparar o tempo de produção que consome para imprimir é expressivo. Meu colega Gijs Joosen fez uma palestra um tempo atrás; ele comparou o tempo que levaria para fazer o edifício A2 cockpit, para fazer a geometria complexa dos nós. Levaria 9375 dias, em vez dos 13 utilizados e custaria €$ 40.500.000,00 em vez de €$ 135.000,00 se eles imprimissem em aço em vez da construção em aço com a produção file-to-factory. É interessante também olhar para a impressão 3D que você pode fazer o seu nó customizado, e fazer realmente ornamental. Isso pode trazer para outro nível a ideia de que o detalhe se torna um ornamento arquitetônico. Pode se tornar completamente projetado de propósito, há apenas material onde é necessário para guiar as forças e conectar os diferentes elementos.

Há uma grande lacuna para ser transpassada do uso de métodos construtivos que realmente já existem e você os adapta começando a controlá-los digitalmente. Tendo os níveis dos métodos produtivos existentes ou usando elementos de manufatura aditiva e adaptando-os de alguma maneira. Isso requer uma lógica de pensamento diferente. Existe um grande potencial nos métodos já existentes assim que você perceber que pode começar a repensá-los. Não se trata de reinventar a roda. O método de produção atual é muito mais sobre a reinvenção do processo.

MS: Essa é uma excelente resposta. Eu particularmente também acredito que temos um longo caminho até que a tecnologia 3D se torne mais barata e disponível para construção.

PS: Ainda assim, é questionável se seria possível reduzir o tempo de fabricação. Para ter certeza que você terá a facilidade e o equipamento de produção que você teria em outros métodos de produção digitais. Também nessa comparação, esses nós e a estrutura foram feitos em 30 dias e se você imprimir em aço isso seriam quase 10.000 dias. Esse tipo de diferença de tempo é uma lacuna é que dificilmente superável. É muito mais interessante criar um caminho de abertura do processo de produção industrial e fazer isso acessível digitalmente, e controlável digitalmente. Então você pode na realidade começar a projetar formas livres, seus diferentes tipos de projeto, e você até permite o usuário final a projetar com métodos de produção industrial de alto nível. Em vez de distribuir impressoras 3D para todo mundo e permitir que eles projetem coisas de plástico. Então isso é o que estamos desenvolvendo agora, algo como um tipo de produto. Nós temos diversos projetos no momento, mas nós fazemos mais projetos do tipo produto. Nós fizemos esse sistema de paredes de escalada, por exemplo, o qual eu estou bastante envolvido.

Basicamente, nós fizemos um aplicativo no qual você pode projetar sua própria parede de escalada e isso é conectado com todo um processamento canalizado no Grasshopper com o qual nós criamos toda a geometria para produção. Então nós podemos na realidade sentar com a pessoa que quer ter uma parede de escalada, rodar um script e nós temos um ambiente de projeto que gera diretamente ângulos e formas das superfícies. Você tem uma visão 3D total do que você está fazendo e também lhe dá a geração dos elementos, se eles estão corretos e se você tem o ângulo certo e se eles são comportados pelo sistema até a produção, então os parâmetros são incorporados nisso. Você pode começar mudando o sistema de paredes e com esse aplicativo a pessoa pode fazer em casa ou com um iPad, e então mandar para nós e começamos o trabalho e diretamente fazemos um projeto realizável. Você cria uma casca 3D completamente autoportante; é totalmente manufaturado digitalmente e entregue no local. A única coisa que você tem que fazer é montar as peças e você tem uma forma 3D.

MS: Você falou um pouco sobre ornamento. Você acha que nos tecnologias podem trazer um novo tipo de ornamento ou estética?

PS: Sim. Como eu vejo, não deve se tornar algo aditivo. Quando se torna uma estratégia integrada então eu penso que realmente se torna esteticamente prazeroso, o detalhe se torna o ornamento. Por exemplo, no projeto A2 cockpit ou talvez na parede de escalada a estrutura completamente integrada se torna uma estética, se torna o ornamento. O detalhe ou o projeto se torna o ornamento. Esse é o lado de trás da parede de escalada, mas tem uma estética muito interessante. Isso também é muito diferente da maneira que abordamos em relação a outros escritórios, no qual o ornamento frequentemente se torna uma sobreposição ou adição. Claro, técnicas digitais permitem que você faça isso, mas então é meramente funcional como uma camada de fachada ou um vestido. A completa integração disso, o detalhe se torna o ornamento em si mesmo e você tem uma estética completamente integrada bem como em termos de estrutura do envelope. O edifício inteiro se começa a se tornar um único projeto fluido e integrado.

Projeto da parede de escalada [ONL]

Modelagem da parede de escalada com detalhamento estrutural [ONL]

Fabricação da parede de escalada [ONL]

comments

064.04
abstracts
how to quote

languages

original: português

outros: english

share

064

064.01

O mestre da habitação social

Antônio Agenor Barbosa, Rachel Paterman and Alberto Goyena

064.02

Lava, arquitetura visionária em Berlim

Gabriela Celani

064.03

Entrevista com Jayme Zettel

Wilson Levy

064.05

Aprendendo com os erros dos outros

Gabriela Celani

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided