Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Concurso para o Paço Municipal de Hortolândia/SP. Projetos, São Paulo, ano 06, n. 072.03, Vitruvius, dez. 2006 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/06.072/2742>.


Implantação

Conceito geral

Buscou-se no partido para o projeto do Paço Municipal de Hortolândia celebrar a democracia, criando um espaço que contemple o cidadão nas suas atividades culturais e institucionais, tornando-se uma referência e um centro de convívio para a cidade. Com base nestas premissas, procura-se criar um grande espaço urbano dinâmico e versátil onde as edificações institucionais e culturais estejam inseridas em conformidade com uma proposta urbana aberta e convidativa que levante a auto-estima do cidadão pelo seu bem estar.

Partido geral e zoneamento

O partido nasce a partir da busca de uma definição dos alinhamentos urbanos para uma zona ainda em formação, do equilíbrio entre os três poderes e do aproveitamento do terreno em declive. Desta forma, busca-se através do giro do alinhamento principal do terreno (Estrada Municipal SMR – 281) até o alinhamento da outra via projetada (linha de transmissão) a criação de um grande espaço público contínuo em patamares definido pela bissetriz destes alinhamentos e tendo como pontos focais a Praça Cívica e o complexo cultural (teatro e biblioteca). A Prefeitura é locada no alinhamento da via projetada ao fundo, enquadrando os prédios do Fórum e da Câmara locados no alinhamento principal, de forma a configurar a figura geométrica de um triângulo entre as edificações e simbolizar o equilíbrio entre os três poderes. Já o teatro e a biblioteca são locados na parte leste do terreno ao final do eixo de forma a conformar um espaço mais reservado e de articulação das edificações institucionais.

Acessos

Procurou-se evidenciar o caráter aberto e convidativo do centro cívico através da permeabilidade visual e física permitindo o acesso por qualquer um dos lados do terreno. Buscou-se o reforço das visuais através do enquadramento das edificações e demais elementos arquitetônicos do complexo, criando pontos focais nos acessos, ressaltando assim a importância do percurso e do movimento para a dinamicidade do conjunto. O acesso veicular ao Centro Cívico se dá por ambas as vias, as quais se comunicam através de uma rua interna que percorre as edificações, delimita as zonas institucional e cívica e abastece o estacionamento geral locado na parte mais baixa do terreno (cota –10,00). Procurou-se também criar um núcleo de estacionamentos para a parte cultural do complexo e estacionamentos locais (vagas contíguas à edificação) dirigidas ao Fórum, Câmara e Prefeitura.

Volumetria e forma

Quanto à volumetria, buscou-se a verticalidade recomendada de cinco pavimentos estabelecida para prefeitura. De forma a regular as alturas máximas das demais edificações a prefeitura foi locada na parte sul do terreno (mais baixa) ajustando-se à topografia e alinhando-se volumetricamente com as outras edificações de menor porte. A sua solução tipológica de barra horizontal de cinco pavimentos com tratamento homogêneo, enquadra os elementos com formas diferenciadas (Fórum e Plenário da Câmara), locados no alinhamento da via, buscado estabelecer a harmonia entre as formas rígidas e mais livres no conjunto.

Espaços abertos

Os espaços criados no interior do lote visam adequar-se à topografia do terreno e acolher o cidadão, garantindo o conforto acústico necessário às atividades cívicas e culturais a serem realizadas ali tendo em vista a poluição sonora da estrada Intermunicipal. Foram definidos três grandes patamares interligados por escadas (cotas –5,00, –6,00 e –7,00). Na parte mais alta (Cota –5,00) encontra-se o anfiteatro e a praça cívica que por sua vez interliga-se com o subsolo do Fórum, no espaço central a plataforma de ligação com a prefeitura e na parte inferior (cota –7,00) um espaço vinculado ao auditório da Prefeitura e comunicado com o pavimento térreo da Câmara de Vereadores.

Teatro e Biblioteca

Conceito e partido

O partido adotado para o teatro e a biblioteca parte da premissa de integrar estes equipamentos culturais em uma única edificação, locada ao final do eixo monumental. Buscou-se compatibilizar volumetricamente ao conjunto esta edificação alinhando o seu volume mais alto (caixa do urdimento do teatro) com o eixo da barra da prefeitura, de forma a manter o gabarito volumétrico do complexo e desenvolver horizontalmente os outros volumes acordando com o gabarito das demais edificações.

Programa e funcionalidade

O programa é organizado através de um acesso principal à edificação locado ao final do eixo (cota –8,00) que organiza os acessos ao teatro e à biblioteca, sendo esta desenvolvida em três níveis interligados. Procurou-se também permitir um acesso independente para o teatro, voltado à Estrada Intermunicipal interligado com o hall principal da edificação de forma a manter a autonomia do teatro e do foyer ante ao conjunto, versatilizando o seu uso.

Sistema construtivo e conforto acústico

O sistema construtivo adotado utiliza-se de elementos industrializados e moldados in-loco, tendo a sua supra-estrutura em concreto armado convencional e lajes pré-moldadas para os vãos regulares. Para a grande placa horizontal buscou-se vencer os grandes vãos e obter o conforto térmico-acústico com lajes tipo-caixão perdido. A cobertura do teatro é composta de uma estrutura metálica treliçada e lajes em concreto pré-moldado. Para vedação, utilizou-se esquadrias em vidro temperado duplo, conformando uma pele hermética com baixa transmissão de calor, aumentando assim a eficiência energética do ar condicionado.

Fórum e Câmara de Vereadores

Conceito e partido

O partido do Fórum e da Câmara parte do conceito de equilíbrio e harmonia entre os elementos do conjunto arquitetônico. Foi estabelecida uma linha-base denominada “linha de equilíbrio”, gerada a partir do encontro entre esta e o perfil natural do terreno. Nesta “linha de equilíbrio” foram implantadas as duas esplanadas de acesso às edificações (cota +1,00) que foram desenvolvidas acima e abaixo desta linha aproveitando a inclinação do terreno.

Fórum

Buscou-se destituir a imagem de austeridade e classicismo convencional adotada para este tipo de edificação através da adoção da idéia de grande pavilhão delimitado pela cobertura, envolvendo um volume interno que abriga as funções estritamente forenses.

Programa e funcionalidade

No pavimento térreo localiza-se as atividades públicas como Distribuidor, OAB, Serviço Social, etc. permitindo ainda o ingresso ao prédio pelos três lados da esplanada. As varas estão distribuídas em duas alas separadas em dois pavimentos-tipo em formato de cruz, unidos pelo núcleo de circulação e serviços. Em alusão ao peso da justiça, loca-se o plenário suspenso sob o espaço de forma a diferenciá-lo do conjunto. Já os serviços administrativos estão locados no subsolo (cota –5,00) assim como o acesso privativo. Procura-se comunicar o plenário com apoio, polícia e celas através de uma circulação independente contígua ao plenário.

Sistema construtivo e conforto termo-acústico

A cobertura é estruturara por treliças metálicas com telhas termo-acústicas sustentadas por pilares metálicos. Para os volumes do pavimento-tipo adota-se o uso misto de elementos industrializados e moldados in-loco. Como vedação do grande pavilhão utiliza-se esquadrias em vidro temperado conformando uma pele hermética de vidro seletivo com transmissão baixa de calor para aumentar a eficiência energética do ar condicionado (quando acionado). Utiliza-se como vedações dos volumes internos paredes leves em gesso acartonado e esquadrias de vidro. Busca-se integrar sistemas naturais de ventilação com climatização artificial através da ventilação do grande hall com o uso de venezianas com abertura controlada locadas entre a esquadria e a cobertura de modo a propiciar a exaustão do calor e permitir a climatização das partes internas utilizadas dos volumes centrais. Assim sendo consegue-se máximo de rendimento com um sistema misto que pode ser alterado em dias quentes e frios.

Câmara de Vereadores

O partido para o prédio da Câmara de Vereadores parte da premissa de atribuir um caráter aberto da edificação. Permitem-se acessos públicos tanto pelo nível da plataforma de acesso ao complexo (cota –3,00), quanto pela praça interna do lote (cota –7,00), de forma a constituir um espaço fluído e dinâmico de continuação e integração da praça.

Programa e funcionalidade

As atividades administrativas e legislativas são locadas em dois pavimentos-tipo. No primeiro nível (cota –7,00) estão às atividades administrativas de apoio a Câmara, e no pavimento superior, os gabinetes dos vereadores e demais atividades de apoio administrativo. Este pavimento possui comunicação direta com o plenário através de uma passarela. Também é criado um acesso privativo pela face oeste conectado com o estacionamento.

Sistema construtivo e conforto acústico

O sistema construtivo utiliza elementos industrializados e moldados in-loco. Utilizam-se pilares metálicos de sustentação da cobertura em laje nervurada impermeabilizada com isolamento térmico e cobertura verde. Utiliza-se no volume do plenário o uso do concreto armado moldado-in-loco com estrutura metálica para a cobertura e telhas termo-acústica. Já nos pavimentos de apoio administrativo e gabinete dos vereadores, utiliza-se estrutura em concreto armado convencional e lajes de concreto protendido. Como vedação, utiliza-se esquadrias em vidro temperado com pele hermética de vidro seletivo com transmissão baixa de calor para aumentar a eficiência energética do ar condicionado (quando acionado). Utilizam-se como vedações dos volumes internos paredes leves em gesso acartonado e esquadrias de vidro.

Busca-se integrar sistemas naturais de ventilação com climatização artificial através da ventilação do espaço com o uso de venezianas com abertura controlada locadas entre a esquadria e a cobertura de modo a propiciar a exaustão do calor e permitir a climatização das partes internas utilizadas dos volumes centrais. Com isso consegue-se o máximo de rendimento com um sistema misto que pode ser alterado em dias quentes e frios.

Prefeitura

Conceito e partido

A solução arquitetônica de uma barra horizontal orientada no sentido norte-sul como principal massa edificada do complexo, visou compor juntamente com as formas livres da Câmara e do Fórum a imagem principal do Paço Municipal de Hortolândia. Visando dar leveza ao conjunto, esta barra é complementada por um volume de base e um coroamento (cobertura), ambos independentes. A base, por sua vez interpenetra-se e conecta-se com o volume do auditório da biblioteca de forma a dar continuidade ao conjunto.

Programa e funcionalidade

O programa é organizado através de três blocos de cinco pavimentos-tipo de 1500m² que abrigam as 15 secretarias. Os blocos possuem um vazio central para iluminação e ventilação natural e dois núcleos principais de circulação vertical (que se divide em privativa e pública) com sanitários e núcleo de serviços. Na base de três pavimentos a contar da cota inferior (–10,00) reunem-se as atividades de atendimento ao munícipe como lojas, protocolo, auditório e apoio sendo estas conectadas por escadas rolantes que levam ao 3º pavimento (chegada da rampa de acesso da esplanada e recepção geral). Buscou-se evidenciar a permeabilidade entre as partes do complexo, criando-se aberturas na base de forma a permitir a passagem do usuário através da prefeitura aos espaços públicos da parte central aproximando ainda mais o cidadão de seu centro cívico. O gabinete do prefeito é locado no sexto pavimento, em conexão direta com o heliponto na face superior do prédio.

Estrutura e sistema construtivo

A estrutura dos edifícios foi projetada como um sistema de pilares e vigas de concreto pré-moldado com modulação de 14x6m e lajes em concreto protendido, com vistas a otimizar o espaço e obter um melhor custo-benefício. Para vedação, utilizam-se esquadrias em vidro temperado conformando uma pele hermética de vidro seletivo com transmissão baixa de calor para aumentar a eficiência energética do ar condicionado. O pavimento-tipo possui o pé direito de 3,60m e utiliza soluções como piso flutuante, forro de gesso e demais elementos que permitem flexibilidade de alteração de layout e espaços.

Conforto termo-acústico

Procurou-se orientar as faces maiores da barra no sentido norte-sul, de forma a minimizar a sua exposição ao sol e reduzir a carga térmica recebida pelo edifício. Nas fachadas leste-oeste adota-se como solução empenas cegas em concreto com ocos internos para amortecimento térmico. Na fachada norte adota-se como solução uma pele de vidro com brises de alumínio reguláveis, e na fachada sul mantém-se as aberturas em vidro de forma a propiciar a vista para a cidade. O projeto busca a iluminação e ventilação natural através dos vazios centrais locados no centro dos três blocos. As esquadrias possibilitam sua abertura para aproveitar a ventilação nas épocas mais temperadas do ano e/ ou do dia.

ficha técnica

Autores
Arq. MSc.Rafael Brener da Rosa, Arq. Marco Schmidt e Arq. Rodrigo Poltosi

Colaboradores
Acad. Arq. Pablo Morales, Paola Escuder e Vanessa Zechin

source
Equipe premiada
Porto Alegre RS Brasil

comments

072.03 Concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source
IAB-SP
São Paulo SP Brasil

share

072

072.01 Prêmio

Prêmio IAB/BA - Salvador e suas Frentes Marítimas

072.02 Profissional

Edifício ProFuturo

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided