Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

português
Veja o resultado do Concurso Nacional promovido pela Prefeitura Municipal de Londrina e organizado pelo IAB - Instituto dos Arquitetos do Brasil, que premiou os 5 melhores anteprojetos arquitetônicos para o Teatro Municipal de Londrina-PR

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Concurso Público Nacional de Arquitetura para o Teatro Municipal de Londrina - PR. Projetos, São Paulo, ano 07, n. 080.01, Vitruvius, jul. 2007 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/07.080/2824>.


Introdução

Uma cidade aberta ao mundo! Jovem e dinâmica, a cidade de londrina, 64 anos, é centro de grande importância econômica, política, social e cultural do paraná. Terceira cidade do sul do país, com cerca de meio milhão de habitantes, é considerada a décima quinta entre as cem melhores cidades para  a realização de negócios.

Famosa pela qualidade de vida e pela economia forte, fomenta o crescimento de setores de turismo, comércio, indústria, prestação de serviços e agronegócios que, ao aumentar a riqueza, propiciam o equilíbrio social.

Considerações - O Espetáculo

No brasil, o teatro surge como obra de jesuítas empenhados na catequese dos índios.

O teatro é edifício, mas define também a representação dramática da arte.

O espetáculo teatral provoca reflexão. A dimensão artística desta reflexão se apóia em uma tríade: aquele que vê (espectador), o que se vê  (espetáculo) e o que se fantasia.

Corte longitudinal praça linear
Imagem do autor do projeto


Premissas

O partido arquitetônico do conjunto é norteado pelos seguintes critérios:

- Respeito ao sítio

A solução proposta implanta o conjunto, orientada pela topografia do terreno e dela tirando partido para organizar os fluxos e transpor o desnível do terreno.

- Regeneração da natureza

Notamos que boa parte da mata existente no terreno foi removida no projeto de duplicação da rua Attílio Octavio Bizato. Levando-se em conta esta informação, optamos pela não construção junto à face norte do terreno, o que possibilita a implantação de uma praça linear. Um corredor verde que se conecta à área arborizada mantida, na confluência com a av. Dez de dezembro com o condomínio marco zero. Desta forma, provocamos a regeneração do verde e o oferecemos à cidade.

- Arquitetura, uma estratégia de ocupação

Inserir urbanisticamente o conjunto, sem negar quaisquer de suas faces. Integrá-lo à cidade, como um espaço de disseminação cultural.

O conhecimento é a base da construção da sociedade e da evolução intelectual humana. Levando-se em conta este conceito, estabelecemos a implantação dos edifícios de acordo com seu caráter primordial de uso.

Optamos pela valorização do pedestre. Uma menor quantidade de vagas para autos foram dispostas no nível da rua. Com isso, foram liberados espaços para a praça linear e o boulevard cultural, que organizam os espaços construídos.

Corte longitudinal teatros
Imagem do autor do projeto


As construções se definem, basicamente, em 03 corpos:

Junto à face norte do terreno, implantamos o edifício didático/administrativo, com acesso também pelo condomínio marco zero através da praça linear, reforçando um caráter local de uso. Um dos passeios da praça é a continuação da calçada do condomínio e, ao longo dele, propomos áreas locáveis de comércio e serviços, que provêem receita ao complexo.

À frente do lote, situada à rua Attilio Octavio Bizato, junto às divisas leste e oeste, estão implantadas as 03 salas de espetáculos. Embasadas pelo boulevard cultural que, protegido por cobertura que dá unidade ao conjunto, rasga o terreno transversalmente, transpondo o desnível do terreno de forma linear e dinâmica. Entremeados pelo boulevard cultural, os foyers dos teatros se olham e, juntamente com o edifício didático/administrativo, configuram o espaço.

- A nova paisagem local

Definimos uma relação sustentável entre o edificado e o não edificado, entre o novo e o existente, solidificando o caráter multidisciplinar da manifestação cultural.

A chaminé, como único elemento preservado do condomínio marco zero e que sinaliza o novo que chega, representa o marco 01 cultural de londrina. Assim como outrora, os trilhos do trem sinalizavam a chegada do desenvolvimento.

Em harmonia com o edificado, a chaminé recebe à sua volta um generoso espelho d´água, que a destaca logo no acesso principal do conjunto, e reforça sua verticalidade.

Corte transversal boulevard cultural
Imagem do autor do projeto


A Implantação

Definição de acessos

Seguindo a estratégia de ocupação do lote, propomos que os acessos de veículos, assim como o generoso acesso de pedestres, sejam feitos pela rua Attilio Octavio Bizato.

Pelo condomínio, uma praça linear, de caráter local, conduz o pedestre para dentro do complexo, conectando-se até o boulevard cultural.

A rampa de veículos, que dá acesso ao subsolo de estacionamento, se prolonga transformando-se em circulação de apoio a serviços e conectando as duas extremidades do terreno.

Corte transversal teatro 2 e black box
Imagem do autor do projeto


O Complexo

Com acesso principal pela rua Attilio Octavio Bizato, na cota 557, uma generosa esplanada, marcada pela presença da água, conduz o fluxo de pedestres à cota 555,50, através do boulevard cultural. Protegida e arborizada, transpõe o desnível natural do terreno e articula o programa de atividades, conectando-se à cota 552,00 através da praça linear na face norte do lote.

Dispostos ao longo deste boulevard estão os acessos às duas salas de teatro, ao black box, espaços de exposições e edifício didático/ administrativo.

Intercalado por áreas ajardinadas e espaços de estar, convivência e manifestações culturais, os foyers dos teatros abrem-se à este espaço e às demais circulações contemplativas.

Uma grande cobertura metálica, partindo das caixas cênicas das duas salas, recobre e protege o boulevard, conferindo unidade estética, visual e espacial ao conjunto.

Planta nível 555.50
Imagem do autor do projeto


Os Teatros

Teatro 01

Implantado junto à divisa leste, tem acesso a seu foyer pela cota 555,5 através de ponte que transpõe o espelho d’água.

Separado do boulevard apenas espacialmente pelo espelho d’água, o foyer se destaca, emoldurado, sem quaisquer barreiras visuais. Comporta platéia inferior e superior de 881 e 239 espectadores respectivamente, perfazendo um total de 1120 lugares.

O balcão superior conecta-se visualmente com o boulevard e, consequentemente, com as demais salas de espetáculo.

Teatro 02

Com acesso pelo boulevard que conduz a platéia até o foyer na cota 561 (mesma cota do balcão do teatro 01), abre suas perspectivas de visão para o boulevard, conservando a premissa de integração visual do complexo. Com capacidade para 465 espectadores, conformação de teatro italiano, assim como o teatro 01, porém sem fosso para orquestra.

Black Box

Espaço de uso múltiplo e de multiplicidade formal espacial. Espaço dinâmico, lúdico, transformável, componível, adequável.

Possui estruturas flexíveis de pisos e forros, permitindo composições múltiplas de palco e platéia. Pode-se compor 01 ou mais cenas, 01 ou mais platéias, 01 ou mais salas. Paredes laterais retráteis recolhem-se possibilitando sua abertura ao exterior, ampliando seus limites e estendendo o espetáculo ao boulevard cultural. Eis a transposição da cena para além dos limites físicos da sala!

Planta nível 561.00
Imagem do autor do projeto


Edifício didático/Administrativo

Com caráter local e funcionamento independente, articula os espaços funcionais através de seu subsolo, que abriga oficinas, salas de figurino, depósitos e salas de apoio a serviços. Centralizado em relação às 03 salas de espetáculo, exerce função de ponte, interligando  através de circulação técnica, as áreas de serviços e apoio aos espetáculos

No térreo, cota 555,5, espaços locáveis destinados a serviços e comércios básicos geram receita e dão vida ao complexo.

Na cota 561, o edifício abriga salas de atividades, cênicas, corporais, visuais, biblioteca, música, instrumentos, áreas administrativas e grande varanda contemplativa que se abre para o boulevard, integrando o uso acadêmico ao complexo cultural.

Planta nível 552.00
Imagem do autor do projeto


Estruturas/Materiais

No subsolo, propomos um sistema estrutural composto por pilares em concreto armado, modulados em malha 7,50x 7,50m, e lajes nervuradas.

A cobertura metálica, composta por treliças, telhas metálicas e painéis de vidro, recobre o boulevard e se apóia na estrutura de concreto das salas de espetáculo.

As platéias e caixas cênicas dos teatros são em concreto armado, os urdimentos são revestidos por painéis de aço corten. As coberturas em lajes tipo steel deck apoiadas em treliças metálicas.

No edifício de didático administrativo, a estrutura é modular, composta por pilares de concreto armado e lajes nervuradas.

Conforto Térmico

As salas de teatro, camarins e  exposições serão condicionadas artificialmente pelo sistema tipo fan coil.

Para cobertura de proteção do boulevard, propomos que seja composta por áreas fechadas e por um grande painél envidraçado central. Este painél, em vidros refletivos incolores  para controle solar, protege o percurso das intempéries. Sua transparência inunda o boulevar cultural de luz natural.

ficha técnica

Autores
Amaury Sakakibara, André Luque, Fernanda Ferreira, Pablo Chakur e Thiago Nieves

source
Equipe premiada
São Paulo SP Brasil

comments

080.01 Concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source
Organização do concurso
Londrina PR Brasil

share

080

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided