Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Fundación Ciudad del Saber. Concurso Internacional de Arquitectura. Projetos, São Paulo, ano 08, n. 092.02, Vitruvius, ago. 2008 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/08.092/2919>.


A análise do sítio, os aspectos geográficos, climáticos e espaciais- além da solicitação de uma construção em etapas- induziu a uma implantação e um partido arquitetônico bastante claros, onde os blocos dos alojamentos são implantados no sentido transversal ao terreno (NE/SO), paralelos entre si, formando pequenos pátios. Esses nove blocos (fase 1 + fase 2) são conectados a uma estrutura linear de circulação de uso comum, paralela à rua e longitudinal aos alojamentos (NO/SE), unificando o conjunto.

A distância entre os blocos também foi estabelecida em função da vegetação existente no terreno, permitindo a preservação de grande parte das árvores e reforçando a permeabilidade entre jardim e edificações.

A implantação dos edifícios ganha maior destaque no momento em que cruza com o eixo de circulação de pedestres, pré-estabelecido pelo “Plan Maestro”. O pátio entre os blocos ganha maior dimensão, e o piso térreo dos dois edifícios adjacentes desenham um alargamento da calçada, configurando-se como espaço público, de reunião, sociabilidade e acesso. Os desníveis criam uma nova referência para o sítio, desenhando as diferentes relações entre os espaços - público, semi-público e privado, formando um vazio onde o conjunto edificado ganha uma nova centralidade: a praça.

O térreo atende e sugere programas de uso comum e apoio aos alojamentos, como: estar, lavanderia, sala de leitura, café e pequeno auditório. No 1º e 2º pavimentos, elevados por pilotis encontram-se os alojamentos, copa e depósito; além de um espaço flexível, junto à edificação linear, dando suporte a pequenas reuniões e estar.

Estrutura

Os blocos de alojamentos terão estrutura em concreto armado, moldado ‘in locu’ com vãos de 7,50x3,60m e dois balanços de 2,50m estabelecendo uma estrutura equilibrada (momento negativo igual ao positivo) e mais econômica na razão 1/5; 3/5; 1/5, com laje maciça, armada em uma única direção. No térreo o número de pilares é reduzido, possibilitando maior flexibilidade aos espaços de uso comum.

Estes edifícios de concreto armado conectam-se ao eixo de circulação, um edifício com estrutura em aço, através da área formada pela copa e depósito, também em estrutura metálica. O edifício de circulação estrutura-se por uma malha de 3,60 x 7,50m, correspondendo à modulação fixada pelos edifícios de concreto dos alojamentos, vencendo o vão entre eles com vigas metálicas.

O conjunto terá fundações rasas do tipo sapata, em concreto armado.

Ventilação

A implantação do conjunto, ao optar por pequenos edifícios conectados por uma circulação comum, otimizou o aproveitamento da ventilação natural. Nas unidades, estão previstas grandes aberturas protegidas da chuva e do sol, e sistema de grelhas para ventilação transversal dos ambientes, ocorrendo no entre forros. Na circulação principal do bloco de alojamento, com aberturas nos dois extremos, também ocorre fluxo de ar por sucção.

Circulação e acessibilidade

A acessibilidade aos programas do térreo, implantados com um desnível de 0,70m acima da calçada, ocorre por rampas. Neste embasamento localizam-se os conjuntos de escadas que dão acesso aos alojamentos no 1º e 2º pavimentos. Junto à praça, implantada no mesmo nível da calçada, existe um conjunto de elevadores que garantem acessibilidade.

Energia

Na cobertura sugerimos a existência de painéis para a captação de energia solar, destinada ao aquecimento de água, reservada em acumuladores tipo ‘boiler’.

Esta laje de cobertura está protegida por painéis de argamassa armada elevados, que permitem seu sombreamento e ventilação, melhorando o desempenho térmico e reduzindo consideravelmente a manutenção dos tratamentos de impermeabilização.

As soluções adotadas para a ventilação natural colaboram para melhor desempenho térmico do conjunto, possibilitando economia de energia no sistema de climatização.

ficha técnica

Arquitetura: Sic Arquitetura / Eduardo Crafig, Juliana Garcias, Marcio Guarnieri, Fabio Kassai e Gabriela Gurgel

Colaboradores: Edison Hiroyama, Roberto Zocchio, Guilherme Filocomo (estag.), Ana Carolina Artuzi Aipp (estag.) e Juliana Ayrosa (estag.)

Estrutura: Yopanan Rebello

Conforto Ambiental: Luiz Carlos Chichierchio (Ambiental)

Visualização 3D: Cite / Bruno Lucchese, Cristiano Miranda e Marco Pedroso Jr.

source
Sic Arquitetura
São Paulo SP Brasil

comments

092.02 Concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source
Organização do concurso
Panamá

share

092

092.01 Crítica

Casa Grelha

092.03 Concurso

Innovative Ideas for Porto Water Tanks

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided