Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

português
O concurso, cujo programa inclui também novas dependências para os cursos de artes, comunicação e design, para a tv e rádio universitárias, contou com a participação de grandes escritórios brasileiros e teve como ganhador o Studio Arthur Casas

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Concurso público nacional de projetos para o Campus Cabral da UFPR. Projetos, São Paulo, ano 12, n. 140.01, Vitruvius, ago. 2012 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/12.140/3562>.


Leitura Urbana
O sítio do Campus Cabral apresenta uma condição urbana particular: consiste numa quadra de dimensões consideravelmente maiores que as típicas locais e cujos limites são dados pelas ruas do entorno e por uma praça pública, que hoje é conformada como o fundo do lote.

Implantação do projeto: os edifícios propostos se definem, por um lado, a partir dos alinhamentos das ruas e do edifício existente, criando o desenho da quadra

Nova frente urbana

Definindo a leitura dos domínios da Universidade e da praça pública

O projeto propõe a abertura de uma rua no limite sul do terreno, na continuação da  Rua Manoel Eufrásio, de maneira a distinguir os espaços do Campus e o da Praça Brigadeiro Eppinghauss. A criação desse eixo proporciona uma nova frente para a Universidade, caracterizada pela sua situação urbana particular.

Eixo de interseção

Mediando a transição entre as escalas local e metropolitana

O projeto estrutura-se a partir de um eixo longitudinal ao terreno, que referencia o Campus numa escala metropolitana, a partir da conexão com o transporte BRT, e articula-o na escala local, estabelecendo uma relação entre a Universidade e a praça pública.

Clareira da universidade

Conformando um largo de convívio

O vazio criado no interior da quadra articula os volumes dos edifícios propostos ao mesmo tempo que cria um espaço de identificação, que acolhe atividades cotidianas e propulsiona acontecimentos próprios da vida universitária.

Implantação

Desenhando o Campus a partir de duas frentes, uma externa e outra interna

Os edifícios propostos se definem, por um lado, a partir dos alinhamentos das ruas e do edifício existente, criando o desenho da quadra, e por outro, pelo desenho do vazio interno, a praça da Universidade.

Interpretação do programa

Produzindo o espaço da Universidade a partir da reorganização funcional das faculdades

O projeto propõe um rearranjo do programa de maneira a combinar usos afins e com isso proporcionar uma maior interação entre as faculdades. Dessa forma, ao invés de reproduzir uma mesma organização funcional em repetidos edifícios, são propostos volumes particulares, relativos a grupos de programas.

Complexo de edificações

Materialidade e legibilidade

O rearranjo do programa em edifícios distintos é expresso no projeto a partir da volumetria e materialidade conferidas aos mesmos. Enquanto o edifício laminar das salas de aula aparece como volume translúcido elevado, o correspondente à área administrativa e biblioteca aparece como uma “pedra”, de aparência mais sólida e desprendida dos alinhamentos da quadra. O auditório proposto se insere no edifício existente, completando o desenho do volume do edifício, mas desmaterializando-se em sua transparência. O volume correspondente aos laboratórios, por sua vez, é entendido como um prolongamento do chão que ao chegar na cota mais baixa revela-se como volume.

Praça e acessos

O desenho do largo central é definido de maneira a criar conexões que conduzem gradativamente as pessoas à praça, por meio de acessos mais controlados, que desembocam no espaço central.

Áreas verdes

Os espaços livres no Campus são tratados de  duas maneiras distintas: apresentam-se de forma destacada no espaço da praça central ou compõem  um conjuntos de jardins que intermedeiam a relação do campus com as vias públicas.

Proposta de expansão

A previsão da expansão das faculdades e potencial introdução de um terceiro departamento se dá a partir da implantação de um edifício de 5 pavimentos, com acesso pela alameda, e com restaurante universitário no térreo. A proposta utiliza-se da estrutura projetada para um primeiro momento, mantendo o mesmo esquema de circulação pelos vazios entre os edifícios.

ficha técnica

autores
Carlos Eduardo Miller, Gabriel Sepe, Giselle Mendonça, Luís Felipe Abbud, Marcela Ferreira, Natália Tanaka, Ricardo Gusmão, Stela Da Dalt

colaboradores
Mariana Strassacapa (fotografia), Marcos Muzi (fotografia), Martin Benavidez (renders)

source

comments

140.01 concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source

share

140

140.02 concurso

Concurso Praça dos Três Poderes

140.03 edifício educacional

Escola Marquesa de Alorna

140.04 collective housing

Housing in Santa Eugenia de Berga

newspaper


© 2000–2020 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided