Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Concurso Centro Cultural de Eventos e Exposições - Paraty. Dal Pian Arquitetos Associados, Apiacás Arquitetos e Yuri Vital Arquiteto. Projetos, São Paulo, ano 14, n. 159.05, Vitruvius, mar. 2014 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/14.159/5103>.


Uma cidade construída

Implantada entre a mata e o mar, Paraty, dentro dos limites de suas correntes, é uma cidade harmônica e consolidada. Planejada segundo padrões das cidades portuguesas, onde as igrejas serviam de referência e de polo de irradiação urbana tem em seus trinta quarteirões atuais construções que preservam boa parte de sua memória edificada.

Embora hoje tomada pelo uso comercial massificado, gerado pelo turismo ascendente, a harmonia da Cidade Histórica está presente nas perspectivas visuais de suas ruas em pés de moleque, que recebem os enfileirados de uma arquitetura simples, porém expressiva.

Nesse contexto, a cidade parece concluída.

Uma cidade em construção

Fora dos limites das correntes, a cidade que se expande apresenta um desenho heterogêneo e por vezes fragmentado, gerando uma espacialidade descontínua e carente de referências simbólicas de expressão.

O local para o Novo Centro Cultural de Paraty, apesar de localizado a pouco mais de 400m da orla urbanizada da Praia do Jabaquara, não conta com rede viária e infraestrutura de abastecimento básico construídas. Em seu entorno imediato também não existe qualquer edificação.

Essa aparente ausência de cidade, destaca a força do verde envoltório e da paisagem magnífica das montanhas e da Mata Atlântica, que as perspectivas visuais do local proporcionam.

Sendo todo Centro Cultural, pela natureza intrínseca de suas atividades, um qualificador urbano, nesse contexto, o Novo Centro Cultural de Paraty passa a ser também um gerador de urbanidade. Desse modo, mais que apenas construir um edifício, deve-se construir um lugar.

Uma caixa de acontecimentos

Interpretamos o Centro Cultural como uma grande Caixa de Acontecimentos, envolvida por fechamento transparente e protegida ambientalmente por grandes beirais e muxarabis, que reportam a tradição presente na arquitetura colonial brasileira.

Permeável às perspectivas visuais, tanto internas quanto externas, o Centro Cultural se apresenta como um edifício amigável e extrovertido que, valorizando a paisagem e a integração com o entorno, se abre generosamente para a cidade que se constrói.

Entende-se com essa conformação, estimular o encontro e a convivência como forma de promover e instigar as mais diversas possibilidades, de manifestações culturais e artísticas.

ficha técnica

autores
Renato Dal Pian
Lilian Dal Pian

colaboradores
Carolina Fukumoto
Carolina Tobias
Leonardo Gomes
Sabrina Aron

consultores
CHAPMAN-BDSP
MODUS Engenharia
NV Engenharia
JUGEND Engenharia

source

comments

159.05 concurso
abstracts
how to quote

languages

original: português

source

share

159

159.01 equipamento público

Centro Paula Souza

Francisco Spadoni

159.02 crítica

Concursos de arquitetura: um impasse jurídico

Fabiano Sobreira

159.03 concurso

Centro Cultural de Eventos e Exposições - Cabo Frio

159.04 concurso

Centro Cultural de Eventos e Exposições - Nova Friburgo

159.06 crítica

A caixa como solução única

Marco Milazzo

159.07 obra

Pitanga do Amparo

Edite Galote Carranza and Ricardo Carranza

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided