Your browser is out-of-date.

In order to have a more interesting navigation, we suggest upgrading your browser, clicking in one of the following links.
All browsers are free and easy to install.

 
  • in vitruvius
    • in magazines
    • in journal
  • \/
  •  

research

magazines

projects ISSN 2595-4245


abstracts

português
A Casa Vila Rica, projeto dos arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco, do escritório Bloco Arquitetos, foi concebida pela ideia de maximizar o contato direto com as condições da paisagem circundante do cerrado.

english
Vila Rica House, designed by architects Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho and Matheus Seco, from Bloco Arquitetos office, was conceived by the idea of maximizing direct contact with the conditions of the surrounding Cerrado landscape.

español
Casa Vila Rica, diseñada por los arquitectos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho y Matheus Seco, de la oficina de Bloco Arquitetos, fue concebida por la idea de maximizar el contacto directo con las condiciones del paisaje circundante del Cerrado.

how to quote

PORTAL VITRUVIUS. Casa Vila Rica. Projetos, São Paulo, ano 19, n. 224.03, Vitruvius, ago. 2019 <https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/projetos/19.224/7443>.


O programa da casa foi distribuído em dois pavilhões que foram posicionados ligeiramente suspensos do piso e desnivelados um em relação ao outro. A elevação dos pavilhões tem dois motivos principais: previnir a entrada de pequenos insetos e animais silvestres à casa e minimizar a movimentação de terra na obra. A piscina localiza-se em um terceiro nível, o mais baixo da construção. O primeiro pavilhão abriga a sala, varanda, garagem e demais serviços. O segundo pavilhão, o mais próximo à piscina, abriga os quartos. O clima ameno da região permitiu que a conexão entre os pavilhões se desse através de passarelas cobertas que não possuem paredes ou esquadrias de fechamento. A ideia foi maximizar o contato direto com as condições naturais do terreno no uso diário da casa.

Casa Vila Rica, perspectiva isométrica, Brasília DF Brasil, 2017. Arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco / Bloco Arquitetos
Imagem divulgação [Bloco Arquitetos]

A escolha dos materiais de construção foi baseada em duas premissas: eles deveriam envelhecer bem sob a ação das intempéries sem a necessidade de manutenção constante e eles não deveriam esconder sua aparência natural. Sendo assim, o concreto aparente foi adotado para toda a estrutura e partes do mobiliário fixo tais como mesa de jantar, estantes, bancos e o forno e fogão à lenha. O piso em cimento queimado foi utilizado nos pisos internos. Somente um tipo de granito lixado foi utilizado em todos os pisos externos, bancadas, áreas molhadas e no interior da piscina. Um tipo de compensado naval foi utilizado em todo o mobiliário, algumas vezes em combinação com peças de serralheria. Um tipo de tijolo cerâmico com espessura final de 12cm foi utilizado para construir todas as alvenarias, portanto toda a estrutura de pilares da casa fica aparente e funciona de forma independente das paredes.

Casa Vila Rica, Brasília DF Brasil, 2017. Arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco / Bloco Arquitetos
Foto Haruo Mikami

 

A mão-de-obra disponível não tinha experiência na execução da estrutura em concreto aparente. Sendo assim, ao invés de buscar a qualidade fina de acabamento do concreto nós decidimos assumir as imperfeições inerentes à sua execução. Desenhamos a paginação de fôrmas e acompanhamos todo o processo da definição do traço do concreto a ser utilizado, porém deixamos aparentes os pequenos defeitos de concretagem.

Casa Vila Rica, Brasília DF Brasil, 2017. Arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco / Bloco Arquitetos
Foto Haruo Mikami

 

Os banheiros possuem aberturas zenitais sobre jardins internos que promovem ventilação e iluminação naturais. A torre de caixas d´água possui dois níveis internos e abriga também o boiler e equipamentos de ar-condicionado. Ela é coberta por uma parede vazada composta de tijolos maciços que foram assentados de modo a deixar pequenos espaços para a ventilação.  O projeto de paisagismo procurou recuperar espécies nativas do cerrado. Sua primeira fase já foi implantada.

Casa Vila Rica, Brasília DF Brasil, 2017. Arquitetos Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco / Bloco Arquitetos
Foto Haruo Mikami

 

ficha técnica

projeto
Casa Vila Rica

ano
2017

área
450m²

arquitetura
Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco (autores), Victor Machado, Marina Lira e Tati Lopes (colaboradores) / Bloco Arquitetos

projeto de estrutura
André Torres

instalações
Victor Silvério

paisagismo
Mariana Siqueira e Jardins do Cerrado

gerenciamento de obra
Gilmar Guimarães

foto
Haruo Mikami

comments

224.03 arquitetura e paisagem
abstracts
how to quote

languages

original: português

source

share

224

224.01 arquitetura efêmera

Pavilhão Nuvem ArcelorMittal

224.02 casa de veraneio

Casa D

224.04 institucional

Nova sede da Beacon School

224.05 edifício comunitário

Coberturas no Xingu

224.06 institucional

Instituto Ling

newspaper


© 2000–2019 Vitruvius
All rights reserved

The sources are always responsible for the accuracy of the information provided